Arquivo da categoria: Sabia que???? #sabiaque

Primeiro Rap??? Grupo The Jubalaires em 1940???? confere aí e opine

02/09/2022 9h

Quando postei no Instagram vídeo The Jubalaires que já tinha um tempão no meu arquivo, porém não imaginava a polêmica de tantos conhecedores do Hip Hop que discordam, porém está aí quem quiser continuar o debate, continue…o que interessa é o assunto de Música boa causar discussão boa ….pois tá dificil ouvir as atualidades.
Não concorda??? responda quem Nasceu primeiro o Ovo ou a Galinha???

Não concorda???? enfim quem Nasceu primeiro o Ovo ou a Galinha???

agora assiste esta ATUALIZADA….. AUMENTA O SOM


Bassic remixou e atualizou The Jubalaires – Noah [ Bassic Remix .
…Prá quem ainda tem dúvida??
Responda quem nasceu primeiro o Ovo ou a Galinha????
Bora prá pista dançar

Esses senhores foram os primeiros rappers? Recentemente descobri a música gospel / sons / barbearia dos anos 1940 – em particular esta fantástica música bíblica chamada “Noah” de The Jubalaires. Decidi remixá-lo adicionando camadas de baixo, órgão, percussão e alguns sabores melódicos lo-fi. Espero que você goste!

Gravação original de “Noé”: https://youtu.be/d323OL-TnZQ?t=25

Gravação e filmagem originalmente dos Arquivos Prelinger.
Os Jubalários: John Jennings, Orville Brooks, George McFadden, Ted Brooks.

gospel #1940s #funk #oldtestament #barbershop

Calin Moraru BEATS atualizou as batidas…… AUMENTA O SOM

Crédito Bassic #maximoRESPEITO

Calin Moraru BEATS #maximoRESPEITO

The Jubalaires foi um grupo gospel americano ativo entre 1940 e 1950. Anteriormente conhecido como Royal Harmony Singers em 1936, [1] a banda era conhecida por seus versos rítmicos rimados, que seriam creditados como uma das primeiras formas consistentes do que seria tornar-se rap.[3]
A banda alcançou o 10º lugar nas paradas de R&B em 14 de novembro de 1942, com “Praise the Lord and Pass the Ammunition”, uma música adaptada do discurso de um capelão naval em resposta ao ataque a Pearl Harbor no ano anterior.[4] Outros lançamentos incluíram “Before This Time Another Year/Ezekiel (Saw the Wheel A Rollin’)” (lançado sob o selo Decca Records), “God Almighty’s Gonna Cut You Down/Go Down Moses” (King Records) e “My God Me Chamou Esta Manhã/Toque o Sino Dourado” (King Records).[5] História completa https://en.wikipedia.org/wiki/The_Jubalaires

OUÇA https://music.apple.com/br/album/gospel-classics/319150853

Festa Junina ou Julina???participar ou não?? #Leia

atualizado 10/7/2022

“Nesta data que atualizo, queria relatar que as festança não parou e com todos os cuidados necessários inclusive uso de mascara(pandemia não acabou) tenho participado e recomendo pois tem sido local de encontro inesperáveis com amigos,parentes e até inimigos, se é que me entende, e tem sido proveitoso pois temos que ser LUZ prá muitos….Prá todos está dificil a vida e através da nossa alegria temos sido benção na vida de muitos…..Sejamos usados…..que DEUS esteja conosco onde pisarmos.” #Ide Sempre #Prontofalei

Achei interessante posicionamento deste BATE-PAPO, da REDE SUPER, Cássio Miranda trocando idéias com os pastores José Horta e Rodrigo Bacelar.
Respeito a opinião dos que não concordam, porém pois minha infancia participei de muitos sem pular fogueira e subir no paú de sebo,mas lembranças maravilhosas da época que organizava no primário(desde de vender rifa, até ensaiar a quadrilha, que prá muitos saiam da rua e se divertiam sem culpa nenhuma …Isto sem contar que Niver da Minha Mãe(Dona Joana) que nasceu 24 junho, imagina pq o nome dela é Joana??? Festança que agora em moldes mais simples, reunimos tradcionalmente toda familia,vizinhos e muito forró de serra….. Se é pecado DEUS PERDOA, sabe nosso coração…..
Confira aíiii ….. se quiser opiniar, Opine…..

Resultado de imagem para Crente pode pular a fogueira??
Crente??? Pode ou não Pode ???

Confira posts Antonio Junior e Leandro Quadros ,quantos se perguntam quando na escola do filho tem a tal Quadrilha para ele dançar???  …. MEU TESTEMUNHO, minha mãe(católica,apóstolica romana como ela fala) nasceu no 24/6 dia que festeja São João e o nome dela é JOANA . Se tem momentos da minha infância que lembro com saudade eram destes dias onde  além da fogueira,forró,comida,com bolos,canjicas…batata doce assada na fogueira a reunião de todos os primos,tios,amigos da escola quanta alegria…. e agora em nossos dias Minha esposa faz um CRENTÃO delicioso(sem uso de pinga) e viva JESUS e #boracomer e aproveitar este momento com a família sendo LUZ sempre e não esqueça Glutonaria é pecado rs”. E só detalhe sempre Oramos no corte do bolo,Agradecendo sempre JESUS(pois tudo é dele)….Valeu João pela oportunidade de manifestar #JCisOne #ProntoFalei

“Olá, sou evangélico e sempre quando chega a época de festa junina, fico na dúvida se posso participar ou não. A minha igreja está promovendo uma festa junina gospel. O que você acha disso? Por favor, fale mais sobre esta festa.” 

R: A festa junina é tradicionalmente realizada para comemorar o nascimento de João Batista, que nasceu seis meses antes de Jesus. Durante a realização da festa junina, são usados diversos elementos simbólicos, como os fogos de artifício, bandeiras de santos, fogueira, quadrilha, comidas típicas, etc., cada um com o seu significado.

No entanto, muitas pessoas enxergam que a festa junina no Brasil, ganhou um status que vai muito além de uma festa religiosa. Ela é realizada em muitos locais, como qualquer outra festa, sem nenhum motivo religioso. As pessoas se aproveitam do clima com temperaturas mais baixas e das atividades para criar uma oportunidade de diversão.

Exemplos muito claros disso são as festas juninas em escolas, ruas, clubes, associações de moradores, estabelecimentos comerciais e outras instituições que não tem nada a ver com qualquer religião. Para elas, a festa tem apenas um fator social ou econômico. No entanto, fica a pergunta: “evangélico pode participar de festa junina?” Geralmente há três respostas que as pessoas costumam dar:

1) Sim. O evangélico pode participar de festa junina

Existem aqueles que dizem que o evangélico pode participar de festa junina por se tratar de uma celebração cristã. Nesse caso, eles defendem que a festa está ligada a personagens bíblicos, como João Batista, Paulo e Pedro. Isso já faz com que seja um evento cristão. Essa posição é defendida principalmente pela Igreja Católica.

e daí????

2) Não. O evangélico não pode participar de festa junina

Outras pessoas entendem que a forma com que o Catolicismo ensina sobre os santos não está de acordo com a Bíblia. A Palavra de Deus não menciona nenhuma festa ligada aos profetas ou apóstolos, nem a um ser humano canonizado pela igreja. Nessa visão, não existem santos mediadores, que intercedem por nós, pois, de acordo com a Bíblia, “há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens: o homem Cristo Jesus” (1 Timóteo 2:5). Essa é a posição defendida pela maioria dos evangélicos.

3) Depende. O evangélico pode participar, desde que seja festa junina gospel

Esse grupo de pessoas não concorda de modo nenhum com a festa junina católica e suas tradições religiosas. No entanto, eles são a favor de que festas caipiras evangélicas sejam realizadas. Essa posição é defendida por alguns evangélicos.

ANÁLISE

Antes de qualquer coisa, gostaria que você lesse estas palavras do apóstolo Paulo à igreja de Corintos:

Por isso, meus amados irmãos, fujam da idolatria. Estou falando a pessoas sensatas; julguem vocês mesmos o que estou dizendo. Não é verdade que o cálice da bênção que abençoamos é uma participação no sangue de Cristo, e que o pão que partimos é uma participação no corpo de Cristo? Por haver um único pão, nós, que somos muitos, somos um só corpo, pois todos participamos de um único pão. Considerem o povo de Israel: os que comem dos sacrifícios não participam do altar? Portanto, que estou querendo dizer? Será que o sacrifício oferecido a um ídolo é alguma coisa? Ou o ídolo é alguma coisa? Não! Quero dizer que o que os pagãos sacrificam é oferecido aos demônios e não a Deus, e não quero que vocês tenham comunhão com os demônios. Vocês não podem beber do cálice do Senhor e do cálice dos demônios; não podem participar da mesa do Senhor e da mesa dos demônios. Porventura provocaremos o ciúme do Senhor? Somos mais fortes do que ele?” (1 Coríntios 10:14-22).

Um dos pontos que devemos destacar neste texto é que Paulo fala sobre a participação dos cristãos em refeições feitas no contexto de rituais pagãos. Ele afirma que o cristão não deve fazer parte das coisas relacionadas à idolatria, pois essa relação corresponde a uma “associação” com demônios. Para Paulo, o problema era que os cristãos, ao consumirem alimentos oferecidos aos ídolos, ignoravam sua comunhão com Deus na Santa Ceia, ou seja, se afastavam da aliança e, consequentemente, provocavam ciúmes no Senhor.

E como isso pode ser relacionado à questão da festa junina? A adoração aos santos é contrária aos mandamentos de Deus! Veja:

“Não terás outros deuses além de mim. Não farás para ti nenhum ídolo, nenhuma imagem de qualquer coisa no céu, na terra, ou nas águas debaixo da terra. Não te prostrarás diante deles nem lhes prestarás culto, porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que castigo os filhos pelos pecados de seus pais até a terceira e quarta geração daqueles que me desprezam, mas trato com bondade até mil gerações aos que me amam e guardam os meus mandamentos” (Êxodo 20:3-6).

A festa junina está diretamente ligada à veneração aos santos da igreja católica e, por isso, são idólatras. O cristão deve seguir a Palavra de Deus acima de qualquer tradição religiosa, e ao saber que o Senhor não aprova a idolatria, ele não deve participar dessas celebrações.

Antigamente, eu acreditava que não tinha nenhum problema em uma criança evangélica participar das festinhas juninas da escola. No entanto, hoje penso que o melhor a ser feito é explicar as razões pelas quais não convém ela participar da festa. E o que podemos dizer do “caipira” que existe em cada um de nós e que nos faz querer acender uma fogueira, assar mandioca, batata-doce, comer bolo de fubá e outras delícias típicas da roça? Que problema há em realizar uma noite caipira, com músicas gospel e, quem sabe, até brincar de quadrilha? Por que não se pode criar uma festa com barracas típicas com a intenção de unir a igreja e atrair visitantes?

Eu entendo e respeito que muitos irmãos em Cristo não vêem problemas em realizar essas festas, contudo, acho que deve haver um bom senso e uma motivação maior do que apenas se divertir. Não podemos esquecer que fomos chamados por Deus para transformar o mundo e não imitá-lo (1 João 2:15-17). Existe também a questão da associação – é muito provável que, ao participar de uma festa junina gospel, as pessoas associem esse evento ao tradicional, de origem e significado idólatras. Então, realizar essa festa pode deixar alguns cristãos desconfortados, além de fazer com que os visitantes interessados na fé, exijam explicações da noite caipira gospel.

Por isso, creio que o mais adequado para nós, evangélicos, é considerar a festa junina como uma das coisas que Paulo chama de “lícitas, mas que não convém e não edifica” (1 Coríntios 10:23). Devemos pensar, antes de tudo, nos interesses do corpo de Cristo, e não em nossos próprios interesses.

Quero deixar claro que não sou contra comer bolo de fubá ou pé-de-moleque. Aliás, gosto muito dessas comidas. Nós podemos sim desfrutar de tudo isso, dentro de casa ou fora do contexto da festa junina. Não porque seja pecado, mas porque pode escandalizar e haver associações que denigram a Palavra de Deus. Agora, se você for convidado por parentes a ir em uma festa junina e achar que será um bom motivo para demonstrar seu testemunho cristão, ore e o Espírito Santo te guiará na melhor decisão!

#Fonte www.pastorantoniojunior.com.br

Prepare uma festa junina na sua casa
Deu água na boca, mas e aí tire suas dúvidas

É pecado comer algo vendido em festas juninas?

O que a Bíblia tem a dizer sobre o uso de alimentos vendidos em festas juninas? Algumas pessoas têm me perguntado se comer algo vendido em um lugar festivo não seria “tomar parte na idolatria”, já que tal alimento é disponibilizado em um contexto idólatra. Vamos analisar o princípio bíblico de 1 Coríntios 8. Muitos que vão para o lado do extremismo deveriam ler com atenção este capítulo. Por isso, iremos analisá-lo em três partes:

Parte 1: “No que se refere às coisas sacrificadas a ídolos, reconhecemos que todos somos senhores do saber. O saber ensoberbece, mas o amor edifica. Se alguém julga saber alguma coisa, com efeito, não aprendeu ainda como convém saber. Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido por ele. No tocante à comida sacrificada a ídolos, sabemos que o ídolo, de si mesmo, nada é no mundo e que não há senão um só Deus. Porque, ainda que há também alguns que se chamem deuses, quer no céu ou sobre a terra, como há muitos deuses e muitos senhores,  todavia, para nós há um só Deus, o Pai, de quem são todas as coisas e para quem existimos; e um só Senhor, Jesus Cristo, pelo qual são todas as coisas, e nós também, por ele.” (1Co 8:1-6)

Ao tratar dos alimentos sacrificados aos ídolos em templos pagãos, Paulo afirma no verso 4 que, o ídolo “de si mesmo, nada é” e que “há senão um só Deus”. Portanto, achar que o alimento oferecido a um ídolo irá “contaminar espiritualmente” uma pessoa é falta de fé no único Ser (Deus) que pode permitir que algo nos aconteça. Se os ídolos não são reais, não há motivos para se preocupar com eles.

Parte 2: “Entretanto, não há esse conhecimento em todos; porque alguns, por efeito da familiaridade até agora com o ídolo, ainda comem dessas coisas como a ele sacrificadas; e a consciência destes, por ser fraca, vem a contaminar-se.  Não é a comida que nos recomendará a Deus, pois nada perderemos, se não comermos, e nada ganharemos, se comermos.” (1Co 8:7-8)

Mesmo que o comer um alimento oferecido a ídolo não influencie a vida espiritual, Paulo afirma que “não há esse conhecimento em todos”. Alguns, por terem tido familiaridade com a idolatria, ainda se sentem contaminados se comerem uma comida aparentemente “idólatra”. O apóstolo afirma que tais pessoas têm a consciência fraca e conclui: não é comida que nos recomendará a Deus. Por isso, nada iremos perder se não comermos e nada ganharemos se comermos. Portanto, o cristão é livre em Cristo para decidir.

Parte 3: “Vede, porém, que esta vossa liberdade não venha, de algum modo, a ser tropeço para os fracos. Porque, se alguém te vir a ti, que és dotado de saber, à mesa, em templo de ídolo, não será a consciência do que é fraco induzida a participar de comidas sacrificadas a ídolos?  E assim, por causa do teu saber, perece o irmão fraco, pelo qual Cristo morreu.  E deste modo, pecando contra os irmãos, golpeando-lhes a consciência fraca, é contra Cristo que pecais.  E, por isso, se a comida serve de escândalo a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que não venha a escandalizá-lo.” (1Co 8:9-13)

Nesse ponto a Bíblia equilibra o assunto e agrada a “gregos e troianos”. Apesar de o cristão ser livre para comer ou não um alimento dedicado a um ídolo, não deve usar de sua liberdade para ferir a consciência dos “fracos”. Paulo também afirma que pecar contra a consciência dos irmãos é pecar contra Cristo.

Desse modo, se o comer um alimento vendido em uma festa junina irá escandalizar um “fraco”, o melhor é não comer.

Podemos ver que, na perspectiva bíblica, nada há de mal em comer, por exemplo, uma pipoca que foi vendida em uma festa junina (se você não fizer parte de uma festa onde há bebidas alcoólicas – ler Sl 1:1-2). Porém, se isso fizer com que um irmão se escandalize, é melhor fazer a pipoca em casa.

Levemos em conta que nas festas juninas não se costuma oferecer os produtos alimentícios aos “santos”. Todavia, siga a sua consciência, como orienta 1 Coríntios 8:1-13.

Em qual dos dois grupos de 1 Coríntios 8 você se enquadra? Nos dos fortes ou fracos na fé? Isso é o que menos importa. O mais importante é que sua opinião seja respeitada – e que você respeite a opinião dos outros.

Um abraço,

Leandro Quadros.

www.namiradaverdade.com.br

Assista https://www.facebook.com/leandroquadrosnt/videos/1757988954217805/?hc_ref=NEWSFEED

O que é Páscoa Cristã? As crianças tiram todas suas dúvidas….#ASSISTA #Imperdível

Atualizado: 13/4/2022 10h –

-após receber o lindo vídeo das Crianças explicando o que é Pascoa….lá no final

Assista e retorne com sua opinião…….FELIZ ´PASCOA prá todos…..pois “ELE VIVE

Páscoa gera reflexão e esperança em diferentes religiões de ...
O que é Páscoa Cristã:
A Páscoa Cristã é uma das festividades mais importantes para o cristianismo, pois representa a ressurreição de Jesus Cristo, o filho de Deus.
A data é comemorada anualmente no primeiro domingo após a primeira lua cheia que ocorre no início da primavera (no Hemisfério Norte) e do outono (no Hemisfério Sul). A data é sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril.
Dentro do cristianismo, diferentes religiões e denominações celebram a Páscoa de maneira diferente. Por exemplo, os protestantes celebram de maneira diferente que os católicos. Enquanto os católicos são encorajados a não comer carne na Quaresma, para os protestantes não existe essa restrição. Além disso, os protestantes não costumam celebrar todos os dias da Semana Santa como os católicos, dando mais importância à Sexta Feira Santa e Domingo de Páscoa.
Durante os 40 dias que precedem a Semana Santa e a Páscoa – período conhecido como Quaresma – os católicos se dedicam à penitência para lembrar os 40 dias passados por Jesus no deserto e os sofrimentos que ele suportou na cruz.
A Semana Santa começa com o Domingo de Ramos, que lembra a entrada de Jesus em Jerusalém, ocasião em que as pessoas cobriam a estrada com folhas da palmeira, para comemorar a sua chegada.
A Sexta Feira Santa é o dia em que os cristãos celebram a morte de Jesus na cruz. E por fim, com a chegada do Domingo de Páscoa, os cristãos celebram a Ressurreição de Cristo e a sua primeira aparição entre os seus discípulos.
A Páscoa já era comemorada antes do surgimento do Cristianismo. Tratava-se da comemoração do povo judeu por terem sido libertados da escravidão no Egito, que durou aproximadamente 400 anos.
Segundo a Bíblia, supostamente Jesus teria participado de várias celebrações pascais. Quando tinha doze anos de idade foi levado pela primeira vez pelos seus pais, José e Maria, para comemorar a Páscoa, conforme narram algumas das histórias do Novo Testamento da Bíblia.
A mais famosa participação relatada na bíblia foi a “Última Ceia”, onde Jesus e os seus discípulos fizeram a “comunhão do corpo e do sangue”, simbolizados pelo pão e pelo vinho.
Ver também o significado dos Símbolos da Páscoa.
Páscoa judaica
A Páscoa instituída entre os judeus – Pessach – é comemorada pela conquista da liberdade dos hebreus, que viviam como escravos no Egito.
Essa libertação coincidiu com a Primavera, que ocorria no mês hebraico (nissan) que corresponde mais ou menos aos últimos dias de março e meados de abril.
As comemorações fundiram-se com as tradições religiosas de seu povo. A Páscoa foi ampliada pelo cristianismo com um novo sentido.
Os judeus seguem a tradição descrita no livro do Êxodo: “E este dia vos será por memória, e celebrá-lo-eis por festa ao SENHOR; nas vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo” (Êxodo 12.14).
Durante as festividades da Pessach Pesach, é feito um jantar especial de comemoração chamado “Sêder de Pessach”, que tem o objetivo de reunir toda a família. O Pessach judeu é comemorado durante sete dias.
Saiba mais sobre o significado da Páscoa.
Data de atualização: 25/04/2019.
#Créditos https://www.significados.com.br/




As Crianças tiveram que explicar para nós adulto, a verdades da PASCOA…….Assista #simplesassim

#Credito
MARCELO vd http://www.comunidadedoredentor.com.br

08 de março Dia Internacional da Mulher??? Você #sabia que???

Este Texto original escrito em 2010, puxa só piorou……mas faço minha homenagem atualizado por mulheres que representam muito na minha vida…..Mulheres sintam se Homenageadas….#maximoRESPEITO

Meditando

“Uma esposa exemplar; feliz quem a encontrar! É muito mais valiosa que os rubis.”

:PROVÉRBIOS 31:10

Valeria Vieira

“Quando vejo as mulheres da Biblia, ocupando posições estratégicas de influência e de liderança, sendo colocadas meticulosamente no lugar certo e na hora oportuna, percebo o quanto Deus valorizou a mulher em todos os tempos. Percebo a forma maravilhosa como Deus a vestiu de força e dignidade, lhe vestiu de autoridade diante de diversas situações, conciliando obediência e submissão a Deus!
Em Seu gracioso plano de salvação, envolveu mulheres das mais variadas classes e ocupações, numa época em que pouco ou nenhum valor se dava às mulheres e assegurou que seus nomes e seus feitos ficassem registrados como testemunho para as próximas gerações:
-Anas: inseridas no contexto eclesiástico, vivendo em suas angústias, mas exercitando sua fé!
-Déboras: que assumem posição de liderança e tomam atitudes capazes de mudar a vida de muitas pessoas!
-Dorcas: envolvidas em sua sociedade colaborando com seus ofícios!
-Esters: tecendo um pano de fundo político, salvando vidas!
-Rutes: prezando pelos valores da família!
-Saras: chamadas para crêr em milagres!
-Martas:prontas para servir!
-Marias: prontas para ouvir!
🌺Mulheres, Muralhas, Auxiliadoras,
Mães, Profetizas, Rainhas!
🌺Mulheres jovens, outras não tão jovens!
🌺Mulheres sofredoras, estéreis, mulheres sábias!
🌺Mulheres simples, importantes!
🌺Mulheres que não tiveram seus nomes revelados!
🌺Mulheres amigas, mulheres formosas!
🌺Mulheres prontas a ofertar suas últimas moedas, seu mais caro perfume, o sempre seu melhor aroma!
🌺Mulheres que testemunharam a gloriosa visão do túmulo vazio!
🌺Mulheres de ontem e hoje!
🌺Mulheres ungidas, comprometidas
com a obra do Senhor!
💍O valor de uma Mulher excede em muito o valor de finas jóias!
A mulher foi feita da costela do homem, não dos pés para ser pisada, nem da cabeça para ser superior, mas sim do lado para ser igual e debaixo do braço para ser protegida e do lado do para ser amada!!!
FELIZ SEMANA DA MULHER

As histórias que remetem à criação do Dia Internacional da Mulher alimentam o imaginário de que a data teria surgido a partir de um incêndio em uma fábrica têxtil de Nova York em 1911, quando cerca de 130 operárias morreram carbonizadas. Sem dúvida, o incidente ocorrido em 25 de março daquele ano marcou a trajetória das lutas feministas ao longo do século 20, mas os eventos que levaram à criação da data são bem anteriores a este acontecimento.

Desde o final do século 19, organizações femininas oriundas de movimentos operários protestavam em vários países da Europa e nos Estados Unidos. As jornadas de trabalho de aproximadamente 15 horas diárias e os salários medíocres introduzidos pela Revolução Industrial levaram as mulheres a greves para reivindicar melhores condições de trabalho e o fim do trabalho infantil, comum nas fábricas durante o período.

O primeiro Dia Nacional da Mulher foi celebrado em maio de 1908 nos Estados Unidos, quando cerca de 1500 mulheres aderiram a uma manifestação em prol da igualdade econômica e política no país. No ano seguinte, o Partido Socialista dos EUA oficializou a data como sendo 28 de fevereiro, com um protesto que reuniu mais de 3 mil pessoas no centro de Nova York e culminou, em novembro de 1909, em uma longa greve têxtil que fechou quase 500 fábricas americanas.

Em 1910, durante a II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas na Dinamarca, uma resolução para a criação de uma data anual para a celebração dos direitos da mulher foi aprovada por mais de cem representantes de 17 países. O objetivo era honrar as lutas femininas e, assim, obter suporte para instituir o sufrágio universal em diversas nações.

Com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918) eclodiram ainda mais protestos em todo o mundo. Mas foi em 8 de março de 1917 (23 de fevereiro no calendário Juliano, adotado pela Rússia até então), quando aproximadamente 90 mil operárias manifestaram-se contra o Czar Nicolau II, as más condições de trabalho, a fome e a participação russa na guerra – em um protesto conhecido como “Pão e Paz” – que a data consagrou-se, embora tenha sido oficializada como Dia Internacional da Mulher, apenas em 1921.

Somente mais de 20 anos depois, em 1945, a Organização das Nações Unidas (ONU) assinou o primeiro acordo internacional que afirmava princípios de igualdade entre homens e mulheres. Nos anos 1960, o movimento feminista ganhou corpo, em 1975 comemorou-se oficialmente o Ano Internacional da Mulher e em 1977 o “8 de março” foi reconhecido oficialmente pelas Nações Unidas.

“O 8 de março deve ser visto como momento de mobilização para a conquista de direitos e para discutir as discriminações e violências morais, físicas e sexuais ainda sofridas pelas mulheres, impedindo que retrocessos ameacem o que já foi alcançado em diversos países”, explica a professora Maria Célia Orlato Selem, mestre em Estudos Feministas pela Universidade de Brasília e doutoranda em História Cultural pela Universidade de Campinas (Unicamp).

No Brasil, as movimentações em prol dos direitos da mulher surgiram em meio aos grupos anarquistas do início do século 20, que buscavam, assim como nos demais países, melhores condições de trabalho e qualidade de vida. A luta feminina ganhou força com o movimento das sufragistas, nas décadas de 1920 e 30, que conseguiram o direito ao voto em 1932, na Constituição promulgada por Getúlio Vargas. A partir dos anos 1970 emergiram no país organizações que passaram a incluir na pauta das discussões a igualdade entre os gêneros, a sexualidade e a saúde da mulher. Em 1982, o feminismo passou a manter um diálogo importante com o Estado, com a criação do Conselho Estadual da Condição Feminina em São Paulo, e em 1985, com o aparecimento da primeira Delegacia Especializada da Mulher.

Quer saber mais?

Bibliografia
As origens e a comemoração do Dia Internacional das Mulheres. Ana Isabel Álvarez Gonzalez, 208 págs., Ed. SOF/Expressão Popular, tel. (11) 3105-9500

Assista o video de Mirair Andrade Soares https://www.youtube.com/watch?v=JKLgEgj4Leo

Crédito https://novaescola.org.br 

Assista Video.. cecibortoleto https://www.youtube.com/watch?v=c9ZJfSHVDic

” Mulheres que fizeram História, voce concordando ou não??

DEUS ABENÇOE TODAS AS GUERREIRAS

Setembro Amarelo- “Diga SIM à Vida” #Leia

Oficialmente o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, porém a campanha ocorre durante todo o mês com diversas ações para promover o debate e a conscientização de que todos são extremamente importantes 01/09/2020 – 09h:32min – Fonte:Compartilhar:Sabrina Borges

Sabrina Borges

contato@cliccamaqua.com.br

Setembro amarelo - mês da prevenção do suicídio — Tribunal de Justiça do  Distrito Federal e dos Territórios
Setembro Amarelo 2020, dia 10 setembro é Mundial de Prevenção ao Suicídio Foto: Concha Mayo/Unsplash
Ouça a matéria clicando aqui!
Desde de 2014 o mês de setembro foi escolhido para ser o mês de uma das campanhas mais importantes do país, o combate ao suicídio. Oficialmente o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.
A campanha do Setembro Amarelo tem o objetivo de prevenir e reduzir os números de suicídio no país. O maior desafio da campanha é conscientizar a sociedade em geral que problemas como a depressão, que estão diretamente associados ao suicídio, é uma doença e deve ser tratada como tal e não como uma “bobeira ou falta do que fazer”. 

Durante muito tempo o suicídio foi considerado um grande pecado, isso devido a crenças religiosas, morais ou culturais. Isso pode estar associado com a dificuldade que as pessoas sentem em falar abertamente sobre o assunto, o medo ou vergonha de serem julgados. 

De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em setembro de 2019, a cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo. Mais de 800 mil pessoas acabam com a própria vida ao ano. No Brasil, foram registrados 13.467 casos de suicídio, dos quais 10.203 foram cometidos por homens.

Ainda de acordo com o relatório da OMS, as principais formas de suicídio foram através de enforcamento, seguida por envenenamento e o uso de armas de fogo. A OMS, acredita que restringir o acesso destes meios a possíveis suicidas é uma das possibilidades para reduzir o número de casos.

A organização também recomendou que familiares e amigos fiquem atentos para identificar possíveis sinais de um ato de suicídio e comecem imediatamente o acompanhamento da vítima em situação de risco. Além disso, o documento ressalta a importância da criação de programas que ofereçam ajuda a pessoas que passam por problemas na vida. 

Estar presente, demonstrar interesse e carinho aos familiares é uma das maneiras de identificar e prevenir problemas de depressão. Sinais como mudanças de comportamento, reclusão e até alterações no sono e apetite, podem ser sinais de depressão. Participar do processo de cura do familiar também é extremamente importante, além é claro de contar com a ajuda de especialistas da área da saúde mental.

Precisa de ajuda? 

Existem alguns locais que oferecem apoio voluntário e gratuito para quem precisa de ajuda. O Centro de Valorização da Vida (CVV) é um dos grupos que oferece ajuda para pessoas que querem e precisam conversar. Essa conversa é totalmente anônima e sigilosa. 

Você pode acessar o site clicando aqui, lá é possível ter atendimento através de um chat, e mail, telefonema ou ainda conversar pessoalmente com um voluntário do CVV. Não deixe de conversar com alguém sobre seus problemas e sentimentos, procure ajuda. Você vale muito! E com toda a certeza existem diversas pessoas que te amam e apreciam demais a tua presença.

Créditos da excelente matéria https://www.cliccamaqua.com.br/

Bursite sabe o que é??? #Saude saiba e não sofra como eu ++++

Bursite de ombro: tudo que você precisa saber sobre esta patologia!
Quem diria Almir Lima, a idade chegou né….após quase 40 dias enrolando e achando que iria melhorar..as dores aumentaram e após aquela consulta na UBS o qual o profissional nem levantou da cadeira, e como um bom ouvinte receitou aqueles remedinhos sem efeito e já anunciou culpa da PANDEMIA….se precisar de raio X exames sem condições de fazer…Graças à DEUS pude pagar uma consulta com verdadeiro profissional e após 7 dias estou bem melhor após infiltração e medicação correta, ultrassonografia…E aí compartilho com todos pela excelente matéria https://blogfisioterapia.com.br/ #prontofalei

Bursas
As bursas são estruturas em forma de bolsa, localizadas em duas superfícies móveis. Dentro da bursa contém uma pequena quantidade de líquido lubrificante, que serve para reduzir o atrito entre as duas estruturas que se movem em contato com a outra.
No manguito rotador, na camada exterior do ombro existem algumas bursas. A bursa subacromial e a subdeltoidiana separam o tendão do músculo supraespinhal e a cabeça do úmero do acrômio, processo coracóide, ligamento coracoacromial e o músculo deltoide.
A função da bursa é evitar o impacto entre essas estruturas e evitar lesões.
BURSITE NO OMBRO - Causas, sintomas e tratamento -
O que é bursite de ombro?
A bursite de ombro (também conhecida como bursite subacromial) é a inflamação da bursa subacromial, que é caracterizada por apresentar dor ao realizar movimentos de ombro. Ela pode ser subdividida em:
1) Bursite Aguda: condição extremamente desconfortável, pois ao levantar o ombro a resposta é uma dor intensa e muito restrita, sendo acompanhada por um arco doloroso. A dor da bursite é geralmente reproduzida com abdução passiva em 180º, rotação interna passiva e adução horizontal passiva.
2) Bursite Crônica Primária: esse tipo de bursite é definida em dois tipos:
I – Causado pelas mudanças degenerativas, especialmente do músculo supraespinhal e da articulação acromioclavicular, o que pode gerar um espaço reduzido para a bolsa resultando em uma reação inflamatória.
II – Causado por doenças sistêmicas, como a artrite reumatoide.
A dor desse tipo de bursite de desenvolve de forma gradual, geralmente localizada na área do ombro e do deltoide lateral, podendo irradiar para a parte superior do braço.
3) Bursite Crônica Secundária: é mais comum do que a primária, resultante de outras patologias do ombro como a ruptura do ligamento coracoumeral medial. É similar a bursite crônica secundária, com a dor se desenvolvendo gradualmente no ombro e podendo se irradiar para a parte superior do braço.
É importante saber que a bursite crônica não é uma continuação ou sequela da bursite aguda. A bursite aguda é uma doença inteiramente à parte.
Causas
A articulação do ombro é uma área sujeira a repetidas pressões durante o movimento. Como citado anteriormente, a bursa subacromial tem a função de diminuir a fricção causada pelo atrito dos músculos do manguito rotador, principalmente o tendão do supra-espinhal.
A bursite subacromial é uma condição inflamatória que tem como causa os microtraumatismos diretos por contusão, indiretos por quedas com apoio palmar, por movimentos repetitivos e por doenças associadas como a artrite reumatoide.
As principais causas da bursite subacromial são:
Atividade Excessiva do Ombro
Ombro em Movimento de Hiperabdução Prolongada
Ruptura do Supra-Espinhal, Infra-Espinhal ou Porção Longa do Bíceps
Luxação Acromioclavicular
Fratura do Troquiter
Irritação na Região da Bursa pela Presença de Osteófitos
Aderência
Paciente Crônico no Leito
Alterações e Inflamações no Geral
Sintomas
A bursite subacromial se manifesta por um quadro de dor aguda, caracterizado por dores intensas ao nível do ombro.
Dependendo do tipo de bursite (crônica primária ou crônica secundária), a dor pode se irradiar para a região cervical, para o braço, antebraço e até dedos.
Na bursite aguda o indivíduo refere dores de intensidade progressiva, que começa no ombro e depois irradia para o braço até o punho. As dores são muito intensas nos primeiros dez dias, geralmente levando a cura espontânea em aproximadamente seis semanas.
O quadro clínico pode inclusive ser confundido com uma nevralgia cervico-braquial ou com artrite séptica, já que no local pode ocorrer vermelhidão e calor, sinais típicos da inflamação.
Tratamento fisioterapêutico
O tratamento da bursite subacromial é diferente de acordo com o tipo:
Fase aguda
Durante a fase aguda é necessário realizar o repouso do ombro acometido, com o uso da tipoia pare evitar a irritação contínua da bolsa subacromial.
Porém, uma imobilização completa pode levar a aderência dos tecidos, por isso é importante realizar exercícios de movimento controlado durante essa fase, para manter a amplitude normal de movimento e diminuir a dor.
Técnicas de mobilização passiva e mobilização na articulação gleno-umeral devem ser realizados com esse objetivo, assim como os exercícios pendulares. Deve-se sempre respeitar os limites de dor do paciente.
Para controlar a dor na fase aguda são indicados os recursos físicos como crioterapia, eletroterapia (TENS e Corrente Interferencial), laser e etc.
Fase subaguda
Nessa fase o objetivo é recuperar a função sem que haja irritação da bursa.
Os exercícios ativos podem ser iniciados e a progressão deve ser feita com cuidado, sempre evitando a dor.
Se a atividade é mantida dentro da dosagem e frequência seguras, os sintomas e dor e edema irão diminuir progressivamente. O paciente é o melhor guia para saber como a progressão da terapia deve ser feita.
Geralmente a dor deixa o indivíduo com função comprometida, e junto com a imobilização da fase aguda, pode causar enfraquecimento muscular.
Ao entrar com um trabalho de fortalecimento é importante começar com exercícios isométricos, mantidos dentro da tolerância do paciente.
A progressão deve ser realizada de acordo com o feed back de dor do paciente, aumentando a resistência aos poucos e ir progredindo para exercícios isotônicos com resistência, desde que bem tolerado pelo paciente.
Tipos de tratamento
Recursos físicos
Os recursos físicos podem ser utilizados como adjuvante ao tratamento fisioterápico para auxiliar no controle da dor e da inflamação:
Crioterapia: ajuda a reduzir o edema, a dor e as contraturas musculares
Ultrassom: utilizando com efeito térmico auxilia a diminuir a dor, reduz a rigidez articular e aumenta o fluxo sanguíneo. Não é indicado nas fases agudas.
TENS: técnica de analgesia simples, barata e eficaz, podendo ser utilizada em praticamente todos os casos de patologias ortopédicas.
Laser: possui ação anti-inflamatória, analgésica, diminui o edema e estimula a cicatrização dos tecidos.
Cinesioterapia
A cinesioterapia é o uso de exercícios físicos com o objetivo de reabilitação.
Os exercícios de fortalecimento são realizados para estabelecer o controle neuromuscular do úmero e da escápula.
Para a reabilitação do ombro os exercícios devem se concentrar no fortalecimento dos estabilizadores dinâmicos e dos músculos do manguito rotador
Esses exercícios devem iniciar com contrações isométricas indolores e progredir para contrações isotônicas com amplitude de movimento total sem dor.
Bandagem
A bandagem funcional tem como funções fundamentais:
Promover Estímulos Sensoriais e Mecânicos Duradouros e Constantes na Pele
Mantém a Comunicação com os Tecidos mais Profundos através de Mecanorreceptores encontrados na Epiderme e na Derme
Melhorar a Contração e Fadiga Muscular
Diminuir a Dor
Melhorar a Circulação Sanguínea e Linfática
Corrigir Propriocepção
Repor Subluxação das Articulações
Auxiliar em Diversas Patologias Ortopédicas combatendo Lesões Musculares
Fraqueza ou Tensão Muscular
Entorses
Estiramentos
Estabiliza e Corrige as Articulações
Para a bursite subacromial são utilizadas as seguintes técnicas:
Técnica linfática desde o acrômio do braço superior
Em forma de polvo
Largura de 5 centímetros, com 4 tiras de 1,25 centímetros
Medir em posição estirada do acrômio até onde deseja aplicar a banda
Em posição neutra colocar a base da banda no acrômio sem estirar
Tensionar a pele colocando o braço em rotação externa/abdução ou rotação interna/adução. Colocar a banda uma a uma de forma circular sobre o úmero
Em posição neutra fixar as 4 âncoras diferentes.
Técnica dos pontos dolorosos e pontos gatilhos na Bursite
Quatro bandas
Largura de 5cm
Medir de modo que as âncoras se fixem bem fora da área dolorosa, levando-se em conta o estiramento necessário
A partir do centro e com estiramento máximo, aplica-se a primeira banda. Ambas âncoras são fixadas sem estirar.
A segunda banda aplica-se perpendicular à primeira, com as bandas formando uma cruz.
A terceira banda, aplica-se de forma diagonal.
A quarta banda é aplicada de forma diagonal a anterior. As quatro bandas formam uma estrela. O ponto central dessa estrela tem que ser um pouco acima da dor.
A bandagem funcional na bursite subacromial melhora a dor de forma significativa, melhora a circulação sanguínea e linfática, melhora a estabilidade articular do complexo do ombro, inibe e ativa os músculos responsáveis pelo complexo do ombro, melhorando os sinais e sintomas da bursite.
Hidroterapia
Os procedimentos terapêuticos realizados no ambiente aquático são recomendados para o tratamento da bursite, pois oferecem bons resultados em função do efeito antigravitacional e da resistência que a água impõe às articulações, principalmente à dos ombros, auxiliando de maneira significativa o seu fortalecimento.
Os exercícios físicos na água diminuem a sobrecarga nas articulações, resultando em redução da sensibilidade à dor, diminuição da compressão nas articulações doloridas e oferece uma melhor liberdade de movimentos.
Os objetivos principais são diminuir a dor, aliviar o espasmo muscular da região, obter o relaxamento dos músculos do ombro, melhorar a força muscular e melhorar a amplitude de movimento.
Benefícios
A fisioterapia tem papel importante na reabilitação da bursite de ombro, pois diminui a dor e estimula a independência e funcionalidade do indivíduo.
A reabilitação fisioterápica dispõe de diversos recursos e técnicas que aliviam a dor, a inflamação, melhoram a amplitude de movimento, fortalecem a musculatura e oferece consciência corporal.
O fisioterapeuta analisa as técnicas mais adequadas à condição atual do paciente, respeitando as variáveis do processo de reabilitação e elaborando um programa de exercícios capaz de corrigir os déficits e recuperar os movimentos ideais do indivíduo, além de educá-lo em relação à sua postura e práticas preventivas, promovendo saúde, funcionalidade e qualidade de vida.
Conclusão
A bursite de ombro, também conhecida como bursite subacromial, é caracterizada pela ocorrência de dor nos ombros, principalmente em determinados movimentos. Abdução, rotação externa e elevação do membro superior são os movimentos que mais desencadeiam a dor.
A bursite subacromial é uma inflamação da bursa subacromial, estrutura que serve para diminuir o atrito entre os tendões da articulação do ombro. A doença pode ser aguda, crônica primária e crônica secundária.
O tratamento na maioria das vezes é conservador, com o uso de anti-inflamatórios e fisioterapia.
A fisioterapia na bursite subacromial visa diminuir a dor, a inflamação e restabelecer os movimentos para que o paciente possa voltar a ter novamente o movimento funcional de ombro sem dor.
 
Referências Bibliográficas
METZKER, C.A.B. Tratamento conservador na síndrome do impacto no ombro. Revista Fisioterapia em Movimento, Curitiba, 23, n. 1, p. 141-151, 2010.
SÁ, A.R.S. Tendinopatia calcificada da coifa dos rotadores desde o diagnóstico até o tratamento. 55 f. Dissertação (Mestrado Integrado em Medicina) – Universidade do Porto, Porto, 2016.
PEREIRA, D.D. As relações das tendinopatias do manguito rotador com as atividades cotidianas: uma contribuição para o design ergonômico. 128 f. Dissertação (Mestrado em Design) – Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2015.
GONZAGA, K.A; MORAES, A.A.M; ARAÚJO, V.R.Q. Efeitos do protocolo fisioterapêutico na síndrome do impacto do ombro: relato de experiência. Disponível em: < http://www.editorarealize.com.br/revistas/conbracis/trabalhos/TRABALHO_EV071_MD1_SA9_ID1336_01052017224729.pdf&gt; Acesso: 14/12/2018
SILVA, S.I.O. Efetividade da Terapia Manual na Síndrome de Conflito Subacromial: estudo de caso. 55 f. Dissertação (Mestrado em Fisioterapia) – Escola Superior de Tecnologia a Saúde do Porto, Porto, 2015.
GOES, J. A Síndrome do Impacto – e considerações sobre bursite, tendinite do supra-espinhoso e da cabeça longa do bíceps. Disponível em: < http://www.institutodetratamentodador.com.br/controle/lesao_32.pdf&gt; Acesso: 14/12/2018
ALMEIDA, A; STEFANOVA, B; SILVA, M. Bursite subacromial. Disponível em: < https://www.sanny.com.br/downloads/mat_cientificos/bursite_subacromial.pdf&gt; Acesso: 14/12/2018
BARBOSA, E.C.B; MEJIA, D.P. Efeito da bandagem elástica na bursite subacromial. Disponível em: < http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/101/37-Efeito_da_bandagem_elYstica_na_bursite_subacromial.pdf&gt; Acesso: 14/12/2018
FELLET, A.J. Ombro Doloroso. Disponível em: < http://www.luzimarteixeira.com.br/wp-content/uploads/2010/02/tapoiocapsulite-ombro-dolorosodoc.pdf&gt; Acesso: 14/12/2018
MONTEIRO, D.F; MEJIA, D.P.M, A.J. Reabilitação fisioterapêutica na síndrome do impacto do ombro: uma revisão de literatura. Disponível em: http://portalbiocursos.com.br/ohs/data/docs/32/04_-_ReabilitaYYo_fisioterapYutica_na_sYndrome_do_impacto_do_ombro_uma_revisYo_de_literatura.pdf&gt; Acesso: 14/12/2018
CAMPOS, R.P et al. Contribuição da natação para a reabilitação da bursite de ombro pós-fase aguda. Revista Brasileira Ciência e Movimento, Brasília, 20, n. 2, p. 119-126, 2012.
CAMPOS, R.P et al. Hidroterapia: aplicabilidades clínicas. Revista Brasileira de Medicina, São Paulo, 63, n. 5, p. 225-237, 2006.
Créditos pela excelente matéria Blog Fisioterapia

Quarentena – Reflexão

Aquele que tiver a real solução para esse problema que atire a 1ª pedra !!!
Atire no Prefeito que fechou a cidade e mandou todos pra casa.
Atire no Presidente que pede pra abrir a cidade e a volta ao trabalho.
Atire nos médicos que pedem o isolamento social para evitar o colapso no sistema de saúde.
Atire nos economistas que pedem para voltar a rotina prevendo um colapso financeiro ….
O NEGÓCIO É ATIRAR PEDRAS !
Se voltar tudo a funcionar vai morrer quantas pessoas ?
Se ficar em isolamento social quantas empresas vão morrer ?
Vou responder:
Ninguém sabe!!
Quando um problema não tem solução, elegemos um culpado, um inimigo, um vilão…
Não! A culpa não é do Prefeito!
Não! A culpa não é do Governador!
Não! A culpa não é do Presidente!
Nem dos médicos, nem dos economistas e nem do Ministro da Saúde.
Eles estão tão perdidos quanto todos nós.
Tão perdidos quanto Donald Trump e todos os líderes mundiais.
Fomos pegos de surpresa sem manual de procedimentos. Cada um ACHA uma coisa, mas NINGUÉM tem certeza.
Então quem sabe não é a hora de parar de perder tempo atirando pedras e dando palpites, e começar a orar mais, amar mais, chorar mais, valorizar mais os AMIGOS e a FAMÍLIA …
Chega de ódio!!!
Talvez seja essa a solução!!!”

Autor Desconhecido

Leia ++++Fake news https://www.boatos.org/entretenimento/mario-sergio-cortella-escreve-texto-aquele-que-tiver-a-solucao-que-atire-a-1a-pedra.html

Calamidade Pública,o que é??

Resultado de imagem para calamidade publica o que é
Calamidade pública é…
O termo calamidade pública costuma ser associado também à expressão estado de emergência. Ambas estão relacionadas, mas não significam exatamente a mesma coisa em termos legais.
O estado de emergência ocorre quando há entendimento de que danos à saúde e aos serviços públicos são iminentes – ou seja, quando esses danos estão muito próximos de se concretizar. A calamidade pública é justamente o passo seguinte à emergência: ocorre quando a situação de prejuízo já estiver instalada.
No dia 4 de fevereiro de 2020, antes mesmo da confirmação do primeiro caso de coronavírus no Brasil, o Ministério da Saúde já havia publicado uma portaria em que declarava emergência em saúde pública de importância nacional (ESPIN, conforme definida pelo decreto n° 7.616 de 2011). Essa portaria visava facilitar ações administrativas ligadas ao combate da doença, como a contratação temporária de funcionários e a compra de produtos e serviços.
Dois dias depois da publicação da portaria, o presidente Jair Bolsonaro sancionou uma lei que detalha outras medidas que podem ser tomadas durante o estado de emergência durante o surto de coronavírus, como a adoção de isolamento e quarentena.
Em meados de março, o entendimento do governo federal é que o alcance global da pandemia e seu status no Brasil elevaram o grau da situação, configurando agora uma calamidade pública.

O Senado aprovou nesta sexta-feira (20) o decreto no qual o governo pede o reconhecimento de estado de calamidade pública no Brasil. A votação do texto correu por meio de sessão virtual, em que os parlamentares discutiram e votaram remotamente, em razão da pandemia do novo coronavírus.

A medida, que já passou a valer com a aprovação, tem como justificativa o rápido aumento no número de casos do novo coronavírus no país, e ocorre após a confirmação da primeira morte decorrente da covid-19 em território nacional. Ainda na quarta (18), a Câmara de Deputados já havia aprovado a calamidade.

Em meio ao cenário de pandemia e de crise, o governo tem sido cobrado para agir tanto na área de saúde como na área da economia para conter os efeitos do avanço da doença. Abaixo, o Nexo explica o que é calamidade pública e como a medida pode dar margem de manobra para o governo operar no quadro de crise.

Link para matéria: https://www.nexojornal.com.br/expresso/2020/03/18/Calamidade-p%C3%BAblica-o-que-%C3%A9-e-quais-suas-implica%C3%A7%C3%B5es
© 2020 |

CARNAVAL:Quem é dono desta festa???

Em 2017 foi assim…….Carnaval leia++Resultado de imagem para Carnaval festa paga

Resultado de imagem para Jesus apanha carnaval

“2019- Vimos cenas como esta,  como liberdade de  expressão escandalizar com esta festa que promove pornografia,sexo,drogas,feminicidio,abuso infantil(principalmente no nordeste),Escárnio,mortes muitas mortes após piores catástrofes naturais Brumadinho ainda procurando corpos e agora no pré carnaval as Inundações  pelos estados com muitas familias desprovidas de auxilio..Com os aeroportos recebendo muitos turistas em plena era do CoronaVirus Covid-19),Dengue já em ação.

Tudo isso com  dinheiro de nossos impostos, que serveria para Educação,Saúde(abandonado),cuidado com os Idosos que ajudaram este país e principalmente obras prá conter os desastres naturais.

Antes de entrar em polêmica fanática.

Minha pergunta é Quem é o dono desta festa??? 

‘Tenho lido muito sobre e selecionei algumas fontes, o qual tire suas conclusões, Livre Arbitrio existe e respeito,porém não posso me calar #prontofalei

O CARNAVAL: SUA ORIGEM E SIGNIFICADO

carnaval 2

“Ai dos que se levantam pela manhã e seguem a bebedice e continuam até alta noite, até que o vinho os esquente! E harpas e alaúdes, tamboris e gaitas, e vinho há nos seus banquetes; e não olham para a obra do Senhor, nem consideram as obras das suas mãos. Portanto, o meu povo será levado cativo, por falta de entendimento; os seus nobres terão fome, e a sua multidão se secará de sede. Portanto, o inferno grandemente se alargou, e se abriu a sua boca desmesuradamente; e para lá descerão o seu esplendor, e a sua multidão, e a sua pompa, e os que entre eles se alegram. Então, o plebeu se abaterá, e o nobre se humilhará; e os olhos dos altivos se humilharão” (Isaías 5.11-15).

Isaías não se refere ao Carnaval, mas o texto nos mostra vários elementos comuns entre as festas pagãs daquela época e as atuais. O Carnaval apresenta muitos atrativos; inclusive, para os jovens cristãos. Hoje, muitas coisas são aceitas sob o pretexto de que “não tem nada a ver”. Precisamos tomar cuidado, pois essa festa tem sido um caminho de destruição para muitas vidas.

Para recebermos alguma coisa, não basta que haja beleza ou sabor. É preciso que saibamos a procedência. Já pensou se você estiver comendo um frango saboroso na casa de alguém e, de repente, souber que o mesmo veio de um despacho na encruzilhada. A procedência é uma informação importante.

A origem do Carnaval é um pouco obscura. Há quem afirme que a mesma esteja relacionada às homenagens à deusa Ísis no Egito, por volta do ano 4000 a.C. Porém, é mais concreta a ligação com as festas gregas ao deus Dionísio em 600 a.C. e às festas romanas ao deus Baco (deus do vinho), chamadas bacanais. Eram festas pagãs, incluindo orgias que se faziam em homenagem aos deuses como agradecimento pelas colheitas. Eram realizadas procissões que, com o tempo, se transformaram nos desfiles que conhecemos.

ORIGEM   

No ano 590 d.C., o papa Gregório incorporou o Carnaval ao calendário das festas cristãs. Sabendo que a Quaresma é um período de quarenta dias de jejum e santificação entre a quarta-feira de cinzas e a páscoa, o Carnaval foi oficializado como uma festa que se realiza antes da Quaresma. Devido ao fato de que, no período seguinte, o católico não poderia comer carne, tudo seria consumido nos dias antecedentes, mesmo porque não existiam geladeiras para que pudessem guardá-la. Então, era uma espécie de “despedida da carne”. Em latim, a festa era chamada “carne vale”, que significa “adeus à carne”.

As pessoas comiam carne até vomitar e bebiam até cair. Antes da santificação da Quaresma, as pessoas se entregavam também à liberação geral dos costumes, cometendo todo tipo de pecados, principalmente sexuais.

Na Quarta-Feira de Cinzas, os fiéis iam à igreja católica (e muitos ainda vão) para receberem um pouco de cinza na testa, enquanto ouviam o padre dizer em latim: “Memento homo, quia pulvis es, et in pulverem reverteris”  (Lembra-te homem, que tu és pó e ao pó voltarás).

venitian-mask-907225-m

MODIFICAÇÕES E DIVERSIDADE – INFLUÊNCIAS ITALIANAS E FRANCESAS

Com o passar do tempo, o Carnaval foi modificado e incrementado por contribuições de vários países, principalmente da Itália e da França. Jogos, brincadeiras, músicas, danças, fantasias, uso de máscaras e carros alegóricos foram acrescentados à festa.  Na idade média surgiu o costume da inversão de papéis sociais durante o Carnaval. Os nobres se vestiam de pobres e os pobres se vestiam de ricos. Entre os pobres era eleito um rei, que seria morto ao final dos festejos. Assim surgiu o rei momo.  Entre as inversões do período, muitos homens se vestiam de mulheres.

O ESTRUDO

Em Portugal, a festa recebeu o nome de estrudo. Essa palavra vem da denominação de bonecos gigantes. Durante o estrudo, as pessoas com boa condição financeira jogavam água com perfume umas nas outras. Os mais pobres jogavam água suja, urina, água com fezes, ovos podres, laranjas podres, restos de comida, etc. Com o passar do tempo, tornou-se comum a ocorrência de violência sexual durante aqueles dias.

CARNAVAL NO BRASIL

Os portugueses trouxeram o Carnaval para o Brasil no século 16. Aqui, os festejos foram incrementados com o samba, o frevo, o maracatu e, recentemente, com o axé e o funk.  Embora não seja uma festa originalmente brasileira, o Brasil o abraçou e o adotou de tal forma, que hoje é conhecido como “o país do Carnaval”. A festa tornou-se uma das principais atrações turísticas da nação, movimentando uma indústria milionária todos os anos.

EMBALAGEM E CONTEÚDO

Todas as mudanças no Carnaval ocorreram apenas em seus aspectos exteriores. A embalagem é cada vez mais bonita, mas o conteúdo continua o mesmo. A aparência do Carnaval é interessante, envolvendo diversão, alegria, beleza e arte. São qualidades reais e não vamos negar isso. Existem coisas bonitas e atraentes no Carnaval, mas isso não significa que vamos participar dele. Dinheiro roubado também tem valor, mas nem por isso vamos aceitá-lo, caso nos seja oferecido.  Apesar da embalagem maravilhosa, o conteúdo do Carnaval é podre e pecaminoso.

O Carnaval é a festa do sexo, como sempre foi. Muitos podem negar isso, mas por que será que o governo distribui camisinhas e faz propaganda de sexo seguro nesta época? Os homens participam do Carnaval por que gostam de dançar? Não. O período é semelhante a uma estação de caça. Os homens vão em busca de relacionamentos sexuais sem compromisso, e muitas mulheres (que querem beijar muuuuito) são as principais vítimas.

O Lado Pagão das
Festas Cristãs leia http://www.imagick.org.br/pagmag/themas2/LadoPagao.html

O LADO ESPIRITUAL

Não podemos nos esquecer que, por trás da realidade natural, está a realidade espiritual. Os demônios atuam de forma intensa no Carnaval, conforme pode ser conferido até mesmo em depoimentos de pessoas envolvidas com os cultos afro-brasileiros.

E qual é o saldo da festa? Depois de tanta bebida, são inúmeros os acidentes de trânsito, com mortos e feridos. Ocorrem também muitos homicídios, mortes por overdose, contração de doenças venéreas e casos de gravidez indesejada. No fim de tudo, a alegria se transforma em tristeza.

O carnaval é festa religiosa, que veio do paganismo antigo, dedicado a Momo – deus da zombaria, do sarcasmo, da pândega e que está ligada à quaresma – período de abstinência e jejum, que termina com a semana santa. No Brasil, com a miscigenação cultural afro-brasileira e com rituais diferentes, o carnaval empolga multidões e é atração turística.

Sabendo que a Quaresma é um período de quarenta dias de jejum e santificação entre a quarta-feira de cinzas e a páscoa, o Carnaval foi oficializado como uma festa que se realiza antes da Quaresma. Devido ao fato de que, no período seguinte, o católico não poderia comer carne, tudo seria consumido nos dias antecedentes, mesmo porque não existiam geladeiras para que pudessem guardá-la. Então, era uma espécie de “despedida da carne”. Em latim, a festa era chamada “carne vale”, que significa “adeus à carne”.



PERIGOS

O Carnaval é uma festa imprópria para o cristão. Alguns vão com o propósito de evangelizar. Não podemos proibir o evangelismo, mas devemos alertar que é um trabalho à beira do abismo. Todo cuidado é pouco. Alguns jovens vão com a desculpa de uma diversão inocente. Cuidado! É muito difícil alguém entrar no esgoto e sair sem se sujar.

Nossa alegria não depende de festas. Não devemos confundir alegria com felicidade e nem sexo com amor. Em Cristo está o nosso prazer e a nossa alegria, que não termina na Quarta-Feira de Cinzas, mas continua para sempre.

::PR. ANÍSIO RENATO DE ANDRADE

Fontes: 

Daniel Lopez SALDÃO CARNAVAL 2019: CILADA ESQUERDISTA?
 
MBL
Luiz Felipe Pondé Carnaval é um pé no saco https://www.youtube.com/watch?v=hv7s7adFIDE

Leia ++++ http://www.veritatis.com.br/origem-do-carnaval-e-cristianismo/

#sabiaque #Carnaval #

Resultado de imagem para carnaval festa ou ritual
“E aconteceu que, chegando Moisés ao arraial, e vendo o bezerro e as danças, acendeu-se-lhe o furor, e arremessou as tábuas das suas mãos, e quebrou-as ao pé do monte;” Êxodo 32:19

Ação Bloqueada no Instagram: por que sua conta pode ter sido bloqueada?

Resultado de imagem para instagram bloqueado
siga as dicas desta excelente matéria https://www.mlabs.com.br/blog/acao-bloqueada-no-instagram/

INSTAGRAM • 06 nov. 2019 • 13 min. de leituraAção bloqueada no Instagram: imagem de uma pessoa mexendo no Instagram e o ícone de bloqueio

Por Redator da mLabs

Publicado em 6 de novembro de 2019 | Atualizado em 9 de janeiro de 2020

Atualizado em 08/01/2020.

Instagram fechou o cerco de vez. A cada dia, novos usuários (perfis pessoais, comerciais e criadores de conteúdo) reportam o recebimento da notificação de ação bloqueada no Instagram, ou têm suas contas penalizadas de alguma forma.

À fim de garantir que a rede social seja usada por pessoas reais com interações legítimas, em maio de 2019 a rede social fez alterações algorítmicas e passou a punir usuários cujas contas já estiveram associadas a ferramentas de automação para ganho de seguidores, envios de mensagens em massa e interações automatizadas.

A medida marcou o fim das ferramentas para ganho de seguidores e, ao mesmo tempo, o início da guerra contra toda atividade não humana na rede social.

De lá para cá, novos bloqueios e tipos de penalizações surgiram e impactaram usuários de muitas formas. Da queda do engajamento e alcance dos posts associados à hashtags e emojis proibidos (o famoso shadowban) à suspensão temporária ou definitiva das contas, cada vez mais usuários têm recebido penalizações.

De acordo com a própria rede social, o bloqueio de contas do Instagram está diretamente ligado à violação das diretrizes da comunidadetermos de uso do Instagram e/ou Políticas da Plataforma.

Ação Bloqueada no Instagram: imagem do print de tela com a mensagem de erro que aparece quando a conta é bloqueada.Mas, ainda que a rede social seja consistente em apontar a violação das regras como causa do bloqueio, ela raramente é capaz de indicar especificamente qual ação desencadeou a penalização.

Em busca de esclarecer as possíveis ações que podem ser interpretadas pelo Instagram como violação das regras da rede social, fizemos uma pesquisa junto a dezenas de perfis penalizados (incluindo perfis que não usam ferramentas externas).

Ação bloqueada no Instagram: o que está por trás disso?

Por mais que não seja possível definir com exatidão todos os motivos que podem levar ao bloqueio, já conseguimos ter uma boa noção dos mais recorrentes que podem prejudicar sua conta. Veja abaixo.

Publicar conteúdo sexual ou inapropriado

Conteúdos com nudez (total ou parcial) e/ou de cunho sexual não são permitidos na rede social.

Apesar de nos parecer uma regra bastante sensata, o fato é que as penalizações são algorítmicas (e sujeitas a falhas) e não contextuais.

Isso explica, por exemplo, casos de lojas de moda praia que foram penalizadas por postar uma foto de uma modelo de maiô bege.

O mesmo vale para uma clínica de estética que posta foto de uma sessão de massagem com nudez parcial, ou mesmo uma loja de roupas que posta a imagem de uma estampa realista com mamilos, por exemplo.

Fotos e vídeos de amamentação, partos naturais e posts de influencers com nudez parcial também estão causando penalizações de diversos tipos ao perfil.

Ação Bloqueada no Instagram: imagem de um post bloqueado de uma influencer
Lembre-se ainda que que as regras da rede social são atualizadas constantemente e o acompanhamento delas é imprescindível para se resguardar de tais bloqueios.

Anos atrás, por exemplo, era proibido qualquer tipo de nudez, inclusive artística sob a alegação de que a rede social possui membros com menos de 18 anos.

Após bastante controvérsia, as exceções foram detalhadas. Hoje, a nudez em fotos de pinturas ou esculturas está teoricamente liberada, ainda que bloqueios algorítmicos sigam acontecendo.

Violar direitos autorais

Infelizmente, muitos perfis não sabem desse fator e têm suas publicações censuradas e ações bloqueadas na plataforma.

Segundo orientações do Instagram, a melhor maneira de garantir que o conteúdo publicado não viole a lei de direitos autorias é publicar somente conteúdo criado por você mesmo.

Isso significa que o uso de frases e citações, músicas, vídeos e imagens de figuras públicas (incluindo em GIFs e memes) ou de autoria externa, podem ser enquadrados como violação das políticas da rede social.

Conteúdos sem menção ao autor ou, até mesmo, uma citação sem aspas, podem ser mal interpretados e banidos da plataforma.

Lembrando que as leis de direitos autorais podem variar de acordo com o país. Para consultar informações detalhadas sobre elas, acesse o site do U.S. Copyright Office ou do World Intellectual Property Organization (WIPO).

Portanto, sempre que publicar um conteúdo, seja ele texto, imagem ou vídeo, certifique-se de estar em acordo com as regras de direitos autorais de todos seus componentes. Caso contrário, você pode receber uma mensagem de bloqueio do conteúdo como esta que selecionamos abaixo.

Ação bloqueada no Instagram: imagem da notificação de bloqueio no Instagram pelo motivo de Direitos Autorais

Usar hashtags banidas ou em excesso

Esse tópico é bastante polêmico pois o uso de determinadas hashtags não está claramente indicado como proibido nas políticas e termos do Instagram.

Mas, acompanhamos dezenas de casos de usuários que tiveram seus posts banidos e/ou com alcance e engajamento reduzido após usarem hahstags como #dadylove, por exemplo.

Acreditamos que, num esforço de banir conteúdos de cunho sexual na rede, o Instagram está bloqueando algoritmamente posts e contas que utilizam hashtags frequentemente associadas à pornografia, pedofilia e outros temas.

Um exemplo disso é a hashtag “#sextou”, que faz referência ao fato de que a sexta-feira chegou. Posts com essa hashtags foram banidos da rede por fazerem alusão à hashtag homônima, em inglês, comumente associada à conteúdos sexuais.

Ação bloqueada no Instagram: imagem da notificação de bloqueio por uso da hashtag sextou
Mais uma vez, notamos falhas algoritmicas no Instagram que acabam penalizando usuários inocentes.

Clique aqui e veja a lista completa de hashtags banidas do Instagram.

Suspeita de uso de ferramentas de automação

O propósito do Instagram é fomentar a interação humana, ou seja, fazer com que as pessoas se relacionem de forma autêntica umas com as outras.

Por isso, a rede social proíbe o uso de ferramentas que promovem ações automatizadas, como seguir outros usuários, curtir e comentar em posts e enviar mensagens diretas automaticamente.

Mas, por se tratar de uma punição algorítmica, existem bugs que levam também ao bloqueio de usuários que praticam as seguintes estratégias:

  • Seguir ou deixar de seguir usuários em grande quantidade

Comentar ou seguir novos usuários em um curto período pode resultar no bloqueio da ação na rede social. O contrário também é válido! Dar unfollow em grande quantidade de perfis não é considerada uma boa prática pelo Instagram.

Mas por quê? O Instagram entende que essas práticas são, na verdade, tentativas para aumentar o número de seguidores de forma maliciosa e, portanto,  podem prejudicar a experiência dos outros usuários na rede.

Segundo informações do blog MonsterPost os limites e as restrições para as ações serem bloqueadas são:

Contas antigas

  • máximo de 60 curtidas por hora;
  • máximo de 60 comentários por hora;
  • máximo de 60 novos seguidores por hora;
  • máximo de 60 mensagens por hora.

Contas novas

  • máximo de 30 curtidas por hora;
  • máximo de 30 comentários por hora;
  • máximo de 30 novos follows/unfollows por hora.

Além disso, segundo a mesma fonte, o Instagram pode penalizar a conta pelo total de ações realizadas no período de um dia. Você não pode executar mais de 1440 ações em sua conta diariamente.

A violação das regras do Instagram leva a um bloqueio temporário. Que poderá impedir o perfil de comentar, curtir, seguir ou mandar mensagens por DM por um período que varia de duas horas à duas semanas.

  • Enviar comentários e DM em excesso (o famoso SPAM)

O envio de mensagens diretas em massa, bem como fazer comentários de conteúdo repetido em muitos posts pode chamar a atenção do Instagram para um possível uso de automação, acarretando o bloqueio na conta.

  • Publicar excessivamente

Sim, a publicação excessiva também pode ser punida pelo Instagram.  Lembra do SPAM que falamos? A mesma lógica se aplica neste tópico.

A publicação excessiva pode ser uma ação automatizada que lota o feed dos usuários, prejudicando a experiência dos mesmos na rede.

Evite fazer a mesma publicação em diferentes contas, e procure manter um intervalo bem definido entre cada publicação para que o Instagram não condene a ação.

Uma observação importante aos usuários da mLabs sobre esse tópico:

A mLabs se categoriza como uma ferramenta de gerenciamento de redes sociais e não pratica nenhum tipo de automação que possa ser interpretada por uma ação não humana na rede social.

Para o agendamento de posts e Stories, a mLabs emula uma ação humana de postagem. Isso explica, por exemplo, porque há um intervalo de tempo entre seus agendamentos de Stories sequencias, por exemplo.

O intuito disso é garantir que não haja uma interpretação falha do Instagram, assegurando que o intervalo de tempo entre um Story e outro seja compatível com o intervalo de um Story postado manualmente.

Aplicamos o mesmo cuidado ao não permitir que você agende um post para o mesmo perfil no mesmo dia e horário, por exemplo. E é por isso também que a mLabs não entrega recursos muito pedidos por nossos usuários como “respostas automáticas no direct”, “comentários e interações automáticos”, entre outros.

Importante ressaltar que apesar de termos notado um aumento no número de contas bloqueadas entre nossos usuários, a maioria expressiva dos clientes da mLabs  (120 mil marcas) segue usando a ferramenta no Instagram sem problema algum.

Estamos certos de que esses bloqueios estão diretamente ligados à violação das regras do Instagram e, obviamente, às falhas da penalização algorítmica.

Receber muitas reclamações de usuários

Denúncias recebidas de outros usuários na rede social fazem com que o Instagram fique de olho em seu perfil.  O excesso de denúncias pode levar ao bloqueio total ou parcial da conta.

Logar na conta a partir de dispositivos diferentes

Caso você faça login em sua conta de diferentes dispositivos ou endereços de IP e não consiga comprovar sua identidade por SMS ou e-mail, o Instagram poderá bloqueá-la por suspeita de hackers ou vírus em seu perfil.

Se você está correndo esse risco, saiba mais sobre as principais medidas para proteger sua conta do Instagram tanto para perfis pessoais quanto para contas business.

Inserir links externos na bio e em anúncios

O uso de ferramentas agregadoras de links na bio ou a inserção de links externos em anúncios podem ser mal interpretados pela rede social.

Nesses casos, não há uma declaração oficial do Instagram sobre o tema, porém já foram confirmados casos em que os links externos, direcionados para WhatsApp, por exemplo, levou o perfil a sofrer uma punição.

Por quanto tempo a conta pode ficar bloqueada?

A verdade é que não há um prazo definido. O Instagram pode desbloquear a ação já no dia seguinte, ou podem levar semanas, depende de cada caso.

Mas se você acredita que foi injustiçado, é importante relatar o ocorrido para a rede social. Vamos ensinar como fazer isso mais à frente.

O que fazer se a conta for bloqueada?

Fui bloqueado e agora? Confira algumas ações que você pode fazer para recuperar sua conta.

Tirar uma folga do Instagram

Por mais que pareça óbvio, essa simples ação pode salvar sua conta. Dessa forma, você provará ao Instagram que não é um robô por tentativas excessivas de login.

Acessar o APP por outra rede ou computador

Muitas vezes o Instagram bloqueia seu endereço de IP e não o da conta diretamente. Portanto, se você tentar logar por outro dispositivo, através de uma rede wi-fi diferente ou por dados móveis, pode ser que recupere a conta.

Associar a conta do Facebook à do Instagram

Associar sua conta do Facebook ao Instagram é uma das maneiras de provar para o Instagram que você não é um bot. Para associar as contas, basta acessar as configurações no APP e clicar na opção para associar com outras redes sociais.

Desinstalar APPs de automação

Chegou a hora de desinstalar todos aqueles APPs que um dia te ajudaram a ter mais seguidores no Instagram.

Apesar de não garantir que o bloqueio seja encerrado – já que o Instagram tem punido mesmo as contas que usaram essas ferramentas apenas no passado – as chances disso acontecer são maiores.

Reportar o erro ao Instagram

Não vê motivos por sua conta ter sido bloqueada? Você pode relatar o problema ao Instagram.  Para isso, acesse o APP, clique nas três linhas no canto superior direito. Vá até as configurações e clique em ajuda.

Ação bloqueada no Instagram: imagem da tela de configurações do InstagramNa sequência, toque em relatar um problema e escolha um motivo e relate o ocorrido.

Ação bloqueada no Instagram: imagem da tela de configurações do Instagram

Deletar as hashtags dos seus posts recentes

Outra tentativa para remover a ação bloqueada no Instagram é deletar hashtags de posts recentes.

Em alguns casos – mesmo que seu propósito não seja esse – muitas hashtags apresentam conteúdos inapropriados aos usuários, portanto, o Instagram as bloqueia.  Portanto, se livrar delas pode ser a solução para desbloquear as ações na sua conta.

Reinstalar o APP limpando os dados da conta

Como último recurso, você pode desinstalar o app, limpar seus dados e reinstalar ele para checar se a ação foi desbloqueada. Como assim limpar os dados?

Para limpar os dados registrados pelo aplicativo em seu celular, você deve entrar nas configurações, acessar a opção de aplicativos, selecionar o Instagram e tocar em apagar ou limpar dados.

Como agir se a conta for desativada?

Além de bloquear algumas ações, o Instagram também pode desativar sua conta temporariamente ou definitivamente e, no segundo caso, não há nada mais para fazer.

Já no primeiro caso, você pode recorrer da decisão. Para isso, basta fazer o login, que serão exibidas instruções do próprio Instagram para ativação da conta novamente.

Como evitar o bloqueio da conta?

Se você chegou até aqui nesse post, já deve ter percebido que não é possível dizer como garantir que sua conta não seja bloqueada. Isso porque, por aplicar as penalizações de forma automática, o algoritmo do Instagram está sujeito à erros e isso explica o fato de muitos perfis “inocentes” já terem sido penalizados.

Mas, as dicas abaixo podem te ajudar a se salvar da penalização.

  • evite dar likes, postar fotos e comentar em vários posts logo após criar sua conta;
  • tenha um perfil completo, com descrição na biofoto de perfilpara comprovar sua autenticidade;
  • evite o uso de agrupadores de links na bio;
  • evite o uso de links externos (WhatsApp) tanto na bio, quanto em anúncios;
  • associe o Instagram a sua conta no Facebook (caso tenha uma);
  • mantenha frequência de postagens para demonstrar que o perfil está ativo;
  • evite postar vários conteúdos de uma vez só;
  • evite fazer comentários iguais;
  • não siga ou deixe de seguir muitos perfis ao mesmo tempo;
  • evite mencionar usuários que não seguem seu perfil;
  • leia atentamente as diretrizes e termos de uso do Instagram.

Seguindo essas dicas, suas chances de ter uma ação bloqueada no Instagram diminuem e o seu gerenciamento de Instagram tem tudo para dar certo. Continue acompanhando o blog da mLabs e esteja sempre atualizado!

Créditos desta excelente matéria

https://www.mlabs.com.br/blog/acao-bloqueada-no-instagram/

Resultado de imagem para instagram bloqueado
%d blogueiros gostam disto: