Arquivo da categoria: Drogas & outras Porcarias

26/6 Dia Internacional do Combate às Drogas,prá que??? comemorar??? Lembrar???cadê a solução

atualizado 30/5/2022

Cracolandia SP – Cena do dia 12/05/2022(quinta – feira) às 14h – novo local Santa Cecilia-SP…esquinta com Av São João(Cartão Postal de SP)….26/6 vamos comemorar o quê??? até quando???

“Este dia não é prá comemorar e sim REPENSAR e COBRAR das nossas autoridades posicões mais Assertivas,nunca esquecendo também de perguntar O que estamos fazendo também,futuro está próximo e não reclame da colheita que está por vir” #ProntoFalei

Dia Internacional de Combate às Drogas é lembrado em Xaxim - Município de  Xaxim

Em 1987 a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu o dia 26 de junho como o Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas. Esta data foi criada para conscientizar a população global sobre essa temática, enfatizando a necessidade de combater os problemas sociais criados pelas drogas ilícitas, além de planejar ações de combate à dependência química e o tráfico de drogas.

Atualmente o uso e abuso de álcool e outras drogas constituem um dos mais importantes problemas de saúde pública no mundo, considerando-se a magnitude e a diversidade de aspectos envolvidos.

Fontes:

Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime

Universidade Federal do Espírito Santo. Centro de Estudos e Pesquisa sobre Álcool e outras Drogas – CEPAD

Notícias

A magnitude do problema do uso indevido de drogas, verificada nas últimas décadas, ganhou proporções tão graves que hoje é um desafio da saúde pública no país. Além disso, este contexto também é refletido nos demais segmentos da sociedade por sua relação comprovada com os agravos sociais, tais como: acidentes de trânsito e de trabalho, violência domiciliar e crescimento da criminalidade.

Os motivos que podem levar uma pessoa a se entregar ao vício de drogassão vários e vão desde a necessidade de aceitação por um grupo até um problema de cunho familiar ou emocional. Da mesma forma são inúmeras as pessoas que se aproveitam disso para traficar e obter lucros com as fraquezas alheias.

 

Mas como resolver essa situação? O tráfico cresce porque cresce o número de usuários de drogas.

Este número aumenta porque aumenta o tráfico de drogas.

Isso significa que não adianta combater às drogas simplesmente como um “problema de polícia”.

Não adianta lutar contra o tráfico, enquanto crime, e esquecer de lutar contra às causas que levam as pessoas ao consumo e a dependência química. O combate às drogas deve se dar também no âmbito educacional, psico-social, econômico e até mesmo espiritual.

Muitos setores da sociedade já perceberam isso e, em conseqüência, aumentam as campanhas de combate às drogas e as organizações que visam a recuperação de dependentes químicos e sua reintegração na sociedade. Exemplo desse esforço social foi a campanha da Fraternidade de 2001, da Igreja Católica, cujo tema foi, “Vida Sim, Drogas Não”

Hospitais,Clinicas de recuperação e Igrejas evangelicas que mantém grupos de dependentes e co dependentes com acompanhamento semanalmente seguindo os programa 12 passos

Saiba como agir – Tente conversar e mostrar ao dependente químico quais os danos que o vício está causando na vida dele, bem como apresentar-lhe soluções viáveis. Caso o viciado já esteja numa fase crônica, não relute em encaminhá-lo para uma clínica de recuperação; mas não deixe de comunicá-lo anteriormente.

A ajuda e as dicas de um profissional competente, como um psicólogo ou psiquiatra, são de extrema importância para o próprio dependente e para aqueles que têm que lidar com um. Outro fator relevante é tornar o dependente ciente de seu comportamento quando está sob efeito da droga e as conseqüências que ele traz para si e para as demais pessoas.

Fonte: UFGNet

“Alcoólatra” e “Alcoolista” conheça a diferenças entre os termos.Aumento consumo durante a Pandemia

atualizado em 30/5/2022

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro do Fígado (Ibrafig) mostra que 55% da população brasileira tem o hábito de consumir bebidas alcoólicas, sendo que 17,2% delas declararam aumento do consumo durante a pandemia de Covid-19, associado a quadros de ansiedade graves por conta do isolamento social.

De acordo com o levantamento, uma em cada três pessoas no país consome álcool pelo menos uma vez na semana. O consumo abusivo de bebidas alcóolicas foi relatado por 18,8% dos brasileiros ouvidos na pesquisa. Os dados foram levantados com base na resposta de 1,9 mil pessoas, espalhadas pelas cinco regiões do país.

O estudo mostra ainda que, em média, os brasileiros ingerem três doses de álcool por ocasião, o que representa 450 ml de vinho ou três latas de cerveja. Para a especialista em doenças e em transplantes de fígado, Liana Codes, o consumo da população brasileira é acima do recomendado pelos órgãos de saúde.

“O resultado nos mostra que a população tem um consumo importante de álcool, com frequência e numa quantidade significativa a cada ocasião. O consumo considerado adequado é não mais do que 14 gramas – que equivale a uma dose 45 ml de destilado, 150 ml de vinho ou uma lata de cerveja, por dia” disse Liana Code à CNN. leia completo https://www.cnnbrasil.com.br/saude/mais-da-metade-dos-brasileiros-acima-de-18-anos-consome-bebidas-alcoolicas/#:~:text=Uma%20pesquisa%20realizada%20pelo%20Instituto,por%20conta%20do%20isolamento%20social.

Assista matéria….https://youtu.be/cCwHLCEsy9k

crédito https://www.cnnbrasil.com.br/ atualizado em 30/5/2022 20h

Alcoólatra” ou “Alcoolista???

 
“Sabe agora em fevereiro 2021 muitas pesquisas querendo entender a diferença  Alcoólatra e Alcoolista, enquanto o mundo está se matando com ódio,guerra,falta de amor e outras drogas….Nossos jovens estão morrendo, saiba que tudo começa com um copo na mão” https://www.instagram.com/almir.lima.54/ #prontofalei

OS TERMOS “ALCOÓLATRA” E “ALCOOLISTA” SÃO USADOS, QUASE QUE INDISTINTAMENTE PELA COMUNIDADE CIENTÍFICA E PELO PÚBLICO LEIGO PARA DEFINIR A “DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL”.

O TERMO “ALCOÓLATRA” FOI UTILIZADO POR MUITOS ANOS PARA DESIGNAR AQUELES INDIVÍDUOS QUE BEBIAM ABUSIVAMENTE E QUE, POR CONTA DISTO, TINHAM UMA SÉRIE DE PROBLEMAS DECORRENTES DO USO DO ÁLCOOL. O USO DO TERMO “ALCOÓLATRA” É INADEQUADO, POIS CONFUNDE O DEPENDENTE DO ÁLCOOL COM ALGUÉM QUE “IDOLATRA” O ÁLCOOL E QUE, POR CONTA DISTO, “ESCOLHE” OU “OPTA” CONTINUAR FAZENDO USO DA SUBSTÂNCIA A DESPEITO DOS PROBLEMAS.

PADRÕES DE CONSUMO DO ÁLCOOL NA POPULAÇÃO BRASILEIRA QUE ELA GERA PARA O BEBEDOR E PARA SEUS FAMILIARES. O TERMO “ALCOÓLATRA’, PORTANTO, ESTIGMATIZA E ROTULA O BEBEDOR COMO ALGUÉM QUE ESTÁ FADADO A UMA CONDIÇÃO DE DEPRECIAÇÃO, FRAQUEZA E FALTA DE ESCOLHAS, POIS PRIVILEGIA O ÁLCOOL ACIMA DE TODAS AS COISAS.

ESTA CONDIÇÃO NÃO É VERDADEIRA, VISTO QUE, QUANDO A DEPENDÊNCIA ESTÁ INSTALADA, EM MUITAS OCASIÕES, O INDIVÍDUO BEBE PARA MINIMIZAR OS EFEITOS DA ABSTINÊNCIA ENTÃO PARA TER PRAZER.

O TERMO “ALCOOLISTA”, POR SUA VEZ, É PROPOSTO POR ALGUNS PESQUISADORES COMO UMA ALTERNATIVA MENOS ESTIGMATIZANTE, VISTO QUE, O TERMO COLOCA O INDIVÍDUO COMO ALGUÉM QUE TEM “AFINIDADE” PELO ÁLCOOL E NÃO É “SEDUZIDO” POR ELE. O TERMO ALCOOLISTA FOI UTILIZADO EM SUBSTITUIÇÃO AO TERMO “ALCOÓLATRA” A FIM DE NÃO RESPONSABILIZAR UNICAMENTE O BEBEDOR PELOS PROBLEMAS DECORRENTES DO USO DO ÁLCOOL, MAS SIM, RECONHECER QUE O ÁLCOOL É UMA SUBSTANCIA LÍCITA, SOCIALMENTE ACEITA E DISPONÍVEL,MAS QUANDO UTILIZADA EM GRANDES QUANTIDADES E FREQUÊNCIAS EXPÕE O BEBEDOR A MUITOS RISCOS.

A EXPRESSÃO MAIS ADEQUADA PARA DESIGNAR O INDIVÍDUO QUE TEM SINTOMAS FÍSICOS DESENCADEADOS PELA FALTA DO ÁLCOOL, ASSIM COMO OUTROS PROBLEMAS DECORRENTES DO USO DESTA SUBSTÂNCIA É “DEPENDENTE DO ÁLCOOL”. A DEPENDÊNCIA DO ÁLCOOL É UMA CONDIÇÃO CLÍNICA QUE QUANDO IDENTIFICADA É CONFERIDO UM DIAGNÓSTICO E UM TRATAMENTO PARA O INDIVÍDUO A FIM DE QUE ELE POSSA SE RECUPERAR E VOLTAR A TER UMA VIDA DENTRO DE UM CONTEXTO SOCIAL CONSIDERADO NORMAL.

 

NOS GRUPOS DE ALCOÓLICOS ANÔNIMOS SEUS FREQUENTADORES COSTUMAM USAR OS TERMOS ACIMA COMPLEMENTANDO COM O TERMO EM RECUPERAÇÃO TIPO: ALCOÓLICO EM RECUPERAÇÃO, ALCOÓLATRA EM RECUPERAÇÃO ENTRE OUTROS DEPENDENDO DA REGIÃO.

Setembro Amarelo- “Diga SIM à Vida” #Leia

Oficialmente o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, porém a campanha ocorre durante todo o mês com diversas ações para promover o debate e a conscientização de que todos são extremamente importantes 01/09/2020 – 09h:32min – Fonte:Compartilhar:Sabrina Borges

Sabrina Borges

contato@cliccamaqua.com.br

Setembro amarelo - mês da prevenção do suicídio — Tribunal de Justiça do  Distrito Federal e dos Territórios
Setembro Amarelo 2020, dia 10 setembro é Mundial de Prevenção ao Suicídio Foto: Concha Mayo/Unsplash
Ouça a matéria clicando aqui!
Desde de 2014 o mês de setembro foi escolhido para ser o mês de uma das campanhas mais importantes do país, o combate ao suicídio. Oficialmente o dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio.
A campanha do Setembro Amarelo tem o objetivo de prevenir e reduzir os números de suicídio no país. O maior desafio da campanha é conscientizar a sociedade em geral que problemas como a depressão, que estão diretamente associados ao suicídio, é uma doença e deve ser tratada como tal e não como uma “bobeira ou falta do que fazer”. 

Durante muito tempo o suicídio foi considerado um grande pecado, isso devido a crenças religiosas, morais ou culturais. Isso pode estar associado com a dificuldade que as pessoas sentem em falar abertamente sobre o assunto, o medo ou vergonha de serem julgados. 

De acordo com dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em setembro de 2019, a cada 40 segundos uma pessoa se suicida no mundo. Mais de 800 mil pessoas acabam com a própria vida ao ano. No Brasil, foram registrados 13.467 casos de suicídio, dos quais 10.203 foram cometidos por homens.

Ainda de acordo com o relatório da OMS, as principais formas de suicídio foram através de enforcamento, seguida por envenenamento e o uso de armas de fogo. A OMS, acredita que restringir o acesso destes meios a possíveis suicidas é uma das possibilidades para reduzir o número de casos.

A organização também recomendou que familiares e amigos fiquem atentos para identificar possíveis sinais de um ato de suicídio e comecem imediatamente o acompanhamento da vítima em situação de risco. Além disso, o documento ressalta a importância da criação de programas que ofereçam ajuda a pessoas que passam por problemas na vida. 

Estar presente, demonstrar interesse e carinho aos familiares é uma das maneiras de identificar e prevenir problemas de depressão. Sinais como mudanças de comportamento, reclusão e até alterações no sono e apetite, podem ser sinais de depressão. Participar do processo de cura do familiar também é extremamente importante, além é claro de contar com a ajuda de especialistas da área da saúde mental.

Precisa de ajuda? 

Existem alguns locais que oferecem apoio voluntário e gratuito para quem precisa de ajuda. O Centro de Valorização da Vida (CVV) é um dos grupos que oferece ajuda para pessoas que querem e precisam conversar. Essa conversa é totalmente anônima e sigilosa. 

Você pode acessar o site clicando aqui, lá é possível ter atendimento através de um chat, e mail, telefonema ou ainda conversar pessoalmente com um voluntário do CVV. Não deixe de conversar com alguém sobre seus problemas e sentimentos, procure ajuda. Você vale muito! E com toda a certeza existem diversas pessoas que te amam e apreciam demais a tua presença.

Créditos da excelente matéria https://www.cliccamaqua.com.br/

Fumar narguilé faz Mal???

Fumar narguilé faz mal?

Consumo do narguilé é 100 vezes mais prejudicial que o cigarro! Verdade ou farsa? (reprodução/Facebook)

Verdadeiro ou falso?

É verdadeiro! A informação é real! O narguilé é um tipo de cachimbo de água usado atualmente pelos jovens, na maioria das vezes, para o fumo coletivo. É comum encontrarmos adolescentes fumando o narguilé nas portas de bares e em casas de shows.

O funcionamento desse cachimbo é bem simples: Ao aspirar o ar pela mangueira, o ar aquecido pelo carvão passa pelo tabaco, produzindo a fumaça que passa pela água (onde é resfriada e filtrada). A fumaça segue pela mangueira até ser aspirada pelo usuário e expirada logo em seguida.narguile2

Aumento do uso entre os jovens

Um estudo feito em 2006, pela University Georgetown Medical Center, já demonstrava um aumento significativo dos adeptos desse tipo de fumo entre os jovens e, sobretudo, entre as mulheres. Desde aquela época, as pesquisas já apontavam para os riscos à saúde entre os usuários do narguilé.

Ainda em 2006, a Organização Mundial de Saúde divulgou um relatório mostrando que os cachimbos de água são mais prejudiciais do que os cigarros normais. O coordenador do relatório, o americano Douglas Bettcher, ainda foi além e afirmou que uma hora de consumo do Narguilé equivale a 200 cigarros.

O estudo pode ser lido na íntegra (em inglês, infelizmente) nesse PDF aqui. É assustador verificar que, de acordo com a OMS, mais da metade dos cerca de 1,5 bilhão de fumantes do mundo irão morrer por causa da dependência aos diversos tipos de fumo (e o narguilé está aí no meio).

Douglas Bettcher e mais um monte de pneumologistas – dentre eles, o brasileiro Ricardo Meirelles, da Divisão do Controle do Tabagismo do Inca – afirmam que por ser “filtrada”, a fumaça aspirada dá a falsa sensação ao usuário de que ela é mais pura do que a do cigarro normal, mas é só ilusão. Segundo o Instituto Nacional do Câncer, além da fumaça vir carregada com mais de 4 mil substâncias tóxicas (que também estão presentes no cigarro comum), possui concentrações muito superiores de nicotina, monóxido de carbono, metais pesados e substâncias cancerígenas.

IMPORTANTE LEIA MATÉRIA RECENTE  Gasto com fumo cresceu 80%: qual o risco à saúde de produtos como narguilé?.. -ATUALIZADO 30/10/2019 https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/10/30/consumo-de-fumo-cresce-80-qual-o-risco-a-saude-de-produtos-como-narguile.htm

Onde há fumaça, há fumo

Água do cachimbo não purifica as substâncias perigosas do tabaco

1. No topo do narguilé fica o fornilho. É dentro dele que vai o fumo aromatizado. Sobre ele há uma folha de papel-alumínio furado (para deixar o ar entrar) e carvão em brasa.

2. Para fazer a fumaça “descer”, o fumante puxa o ar pela mangueira. O ar aspirado dá lugar a uma nova quantidade de ar vinda do fornilho: é a fumaça da queima do fumo.

3. A fumaça cria bolhas e atravessa a água, onde deixa parte das cinzas da queima e substâncias do tabaco. Do interior do vaso , ela segue pela mangueira até a piteira

Crédito da Matéria

Tem dúvida ainda … Segundo o médico clínico geral Célio Campos Borges, (Hospital Anchieta – DF Brasilia)     Assista https://www.youtube.com/watch?v=x_K6183_A0A

Hoje faço Festa pela Vida.. #Testemunho

ATUALIZADO em 02/11/2019

A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé, terno e área internaAlmir Lima, produtor de tv,rádio eventos corporativos e sociais, venceu duas décadas de alcoolismo. Agora, ele faz questão de festejar e promover  sua própria recuperação entre os jovens,promovendo e ministrando dependentes e co-dependentes que não acreditam mais na retomada de vida.“Hoje faço festa pela vida…

Assista Clik Aquí Programa Globo Informatica 1985

Comecei a beber quando tinha apenas 14 anos, em festinhas que promovia para arrecadar fundos para a formatura. Meus pais me achavam responsável e, por ser homem, me deixavam fazer tudo o que quisesse. Quando comecei a trabalhar, aos 20 anos mergulhei de vez no álcool. Na época, levava uma vida boêmia. Em virtude da minha atuação como produtor de eventos, freqüentava muitas festas, bebia todos os dias, mas nunca me achei alcoólatra. Estava sempre rodeado de amigos e em eventos com famosos, cantores, atores e políticos. Cheguei a ganhar muito dinheiro, mas não tinha a paz que tenho hoje.

Trabalhava mais de 12 horas todos os dias e no final do expediente sempre fazíamos uma reunião em algum bar da cidade para descontrair a equipe. Passar a madrugada fora de casa tornou-se um hábito. Além da sensação de descontração, o álcool me garantia novas amizades. Acreditava que a bebida era apenas uma maneira de celebrar a alegria e a vida.

A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sentadas, água e atividades ao ar livreBêbado, já me livrei de capotamentos e de outros acidentes de carro e até de brigas. Totalmente encharcado de cerveja, me sentia poderoso e em muitos momentos desrespeitei policiais e até freqüentadores dos eventos que produzia. No dia seguinte estava sempre destruído fisicamente e moralmente. Em uma emboscada, um amigo meu levou 14 tiros; eu sai ileso. Por Deus não morri. Aliás, posso contar nos dedos quantos companheiros daquela época estão vivos. Os que sobraram estão doentes ou presos, muitos perderam famílias, profissão e principalmente a dignidade.

Enquanto me sentia como um super- homem, minha carreira declinava, os amigos sumiam e os problemas financeiros começavam a aparecer.

Sempre gostei de reggae e continuava envolvido com o meio musical. Certa vez fui com um amigo fotografar os rapazes da banda Planta & Raiz para um editorial que estávamos fazendo. Para minha surpresa, os músicos se apresentaram em uma igreja, durante uma celebracao

A imagem pode conter: 11 pessoas

A fé me fez recomeçar

Achei o clima do local envolvente e encontrei uma moçada simpática ali. Parecia um sinal. Naquele dia aceitei que precisava de ajuda e minha vida mudou. Considero fundamental o trabalho que as instituições de recuperação de alcoólatras e dependentes químicos fazem, como o AA (Alcoólicos Anônimos), mas, no meu caso, a recuperação só foi possível mesmo por meio de um trabalho espiritual, da minha fé em Deus.**(Ministério Nova Vida SP) **

Aos 46 anos posso dizer que estou transformado, que zelo pela vida do meu filho de 18 anos. Sei que ele acredita no meu depoimento, mas imagino a confusão que provoquei em sua cabeça, especialmente na infância. Admito que fui um pai bem ausente até ele completar 12 anos, quando resolvi mudar e dar um basta nessa vida superficial proporcionada por um copo de cerveja.

Já estou livrei da bebida há quase seis anos. Neste tempo todo nunca mais tomei nenhum gole. Tenho dedicado cada dia da minha jornada à conscientização de jovens, e acompanhado a luta de muitas famílias que estão conseguindo salvar seus filhos. Depois de organizar tanta festa, hoje tenho orgulho de promover e festejar a minha própria recuperação.

A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas e área interna

MPC – Projeto Escola da Vida –  E.E Profª Hadla Feres. em Carapicuiba 2017

Entenda bemSegundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o alcoolismo é uma doença crônica que se manifesta através do desejo incontrolável de beber, da perda de controle (não conseguir parar de beber depois dos primeiros goles), da dependência física (sintomas como sudorese, tremedeira e ansiedade quando o indivíduo está sem o álcool no organismo) e da tolerância (necessidade de doses cada vez maiores de álcool). A bebida alcoólica em excesso age como um depressor do Sistema Nervoso Central (SNC). Seus efeitos no cérebro podem ser percebidos logo nos primeiros momentos após a ingestão de álcool por meio de euforia, desinibição e loquacidade (maior facilidade para falar). Com o passar do tempo, o álcool começa a afetar também outros órgão, como fígado, coração, vasos sangüíneos e a parede do estômago. A herança genética pode explicar parcialmente a vulnerabilidade de alguns indivíduos à dependência alcoólica. Outros fatores também demonstraram estar relacionados, entre eles o estilo de vida, a influência do meio, a presença de eventos estressantes e a falta de capacidade de alguns para enfrentar as dificuldades.

A imagem pode conter: 1 pessoa, área interna

OS TIPOS DE AJUDAAMBULATORIAL a pessoa vai regularmente a um ambulatório especializado para acompanhamento terapêutico com médicos e psicólogos.FARMACOLÓGICO o médico prescreve remédios para reduzir a vontade de beber e prevenir recaídas. O tratamento é feito com atendimento psicológico e para alcoólatras com alto grau de dependência.INTERNAÇÃO HOSPITALAR é recomendada quando há chance de uma síndrome de abstinência grave ou quando o hábito de beber está associado a distúrbios psiquiátricos.GRUPOS DE AUTO-AJUDA formados por voluntários e ex-dependentes que se reúnem para discutir as dificuldades e conquistas do processo de reabilitação, têm a vantagem de ser gratuitos. Um dos mais conhecidos é o Alcoólicos Anônimos (www.alcoolicosanonimos.org.br).TERAPIA FAMILIAR ajuda todos a reavaliarem sua postura diante do dependente de um modo mais eficaz.

 

NA INTERNET

Associação Brasileira do Estudo do Álcool e Outras Doenças –www.abead.com.br

Unidade de Pesquisa em Álcool e Drogas da Universidade Federal de São Paulo – www.uniad.org.br

Grupo Interdisciplinar de Estudos de Álcool e Drogas do Hospital das Clínicas (SP) – www.grea.org.br

Perdizes SP- Ministerio Nova Vida ** – Rua Turiassu 734 Perdizes SP (Atrás do Parque da Agua Branca-Metro Barra Funda) +++ info tel.011-3672-6010 #Indico **

Osasco – @ProjetoSimEuAcredito – Instituto Vivereh Rua São Paulo da Cruz 256 Jd.Sto Antonio  tel. 11-3685-1275  9894-21119

Vila Leopoldina SP @revivaibpv12 Av.Mofarrej  1024 tel. (11) 3641-3322

Crédito http://revistavivasaude.uol.com.br/edicoes/36/http:/www.grea.org.br/

Materia : Denise Camargo

Edição 36 Dezembro 2006

A imagem pode conter: Almir Lima

Luta continua….Missão Dada será Cumprida…#DEUSCONOSCO

A imagem pode conter: 20 pessoas, pessoas sorrindo, multidão
A imagem pode conter: 2 pessoas, incluindo Almir Lima
A imagem pode conter: 12 pessoas, incluindo Ivan Rino, pessoas sorrindo, pessoas em pé
A imagem pode conter: 14 pessoas, incluindo Yuji Kuge, Mirella Silva, Maria Moreira Lima, Almir Lima, Andreia Castilho e Kleber Santos Evangelista, pessoas sorrindo, texto

Perdeu ??? WorkShop NV em Pirituba #DrogasNão #FoiAssim


Em comemoração aos seus dois anos de vida, o Ministério Nova Vida (NV) da Bola de Neve Jaraguá realizou no dia 09/02, o Workshop Nova Vida, em São Paulo, ministrado pelo time do NV da Bola de Neve de Campinas. Esse encontro foi totalmente gratuito e aberto para toda a igreja e comunidade da região, onde houve ministrações e dinâmicas com os seguintes temas: O que é Dependência Química; Programas de Tratamento, Codependência, NV na prática e muito mais.. @boladenevecampinas #novavida #novavidajaragua #novavidacampinas #nv #nv2019 #workshopnv #boladenevechurch #boladenevejaragua #boladenevecampinas #boraavancar #borarua #tudoDEUS

“Tem nosso apoio Eventos,Ações que combatam as porcarias que tem estragado nossas famílias #oprodutor @siteoprodutor” #prontofalei

#Meditando “Pois muitos são chamados, mas poucos são escolhidos.” Mateus 22:14. 


Dá uma olhada no que rolou….

A imagem pode conter: 1 pessoa, flor e comida
Café para começar o dia 9h

A imagem pode conter: comida e área interna
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas em pé

Grande Tica tremendo testemunho, reciclando conhecimento

Dinâmica
Nenhuma descrição de foto disponível.
#Indico todas as 2@feiras no Jaraguá(atrás do Cantareira Norte
Shopping
A imagem pode conter: 5 pessoas, pessoas em pé
Perder um sabado ensolarado das 9às 18 horas mostra o entendimento de todos que participaram….Drogas&Compulsão é bom saber +++
Nosso futuro depende desta decisão…#ProntoFalei
Nossa Anfitriã do Jaragua e Pastores abençoados de Francisco Morato
Amanda e João pelo testemunho Veja a cobertura completa encurtador.com.br/xJPRX

Prá quem me conhece, sabe que um dos motivos da minha conversão em 2002 foco era quanto mais pudesse RESGATAR amigos,familiares e frequentadores das festas que promovia na minha geração.

Queria alertar das porcarias que a Babilonia divulga e enaltece principalmente nestes momentos de festas..(agora Carnaval)

O quanto a mídia e em muitos casos levam familias entender ser social incentivar o primeiro gole de uma criança e depois não conseguir parar,ocasionando vidas destruídas,jovens rebeldes sem foco no futuro,doenças incuráveis,prisões e muitos casos agora Mortes…..

Pois é a preocupação que tinha para minha geração no decorrer daqueles dias, HOJE triplicou e é fato jovens,pais e mães de família estão abreviando suas vidas que podem ser constatados com aumento das Cracolandias,Acidentes de carros principalmente nos finais de semana.

E em sintonia com minha querida esposa Maria naquele momento, o Alerta foi dado e nos dedicamos à conhecer para combater mais sobre estas drogas,

E a conclusão que chegamos após muitas ministrações em casas de recuperação,escolas,igrejas entre outros é senão tivermos conhecimento e informação técnica e prática ficará dificil e nem os mais de 10 cursos de atualização do DIPE/Denarc,palestras da Febrac, nos capacitou no nosso dia dia com familias e co-dependentes como à frente desta importante ferramenta que é o Ministério Nova Vida, pudemos presenciar o resgate de muitas famílias (co dependentes e dependentes) que colocaram em prática as Cinco atitudes

1)Admitir 2)Acreditar 3)Entregar 4)Partilhar 5)Reparar…

CONVITE : Neste momento temos claro, que precisamos Reciclar e Compartilhar experiencias e por isso Convido voce e todos que sentem este chamado para estarmos juntos neste dia 09/2/19 WorkShop NV 2019 em comemoração dos dois anos no Jaraguá-Zona Oeste e ao final declarar ” JUNTOS FICA MAIS FÁCIL” #Indico

Meu testemunho https://oprodutoroficial.wordpress.com/2018/11/03/meu-testemunho-almir-lima/

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

Dia 09/02/2019, o Ministério Nova Vida da Bola de Neve Jaraguá completa dois anos de história. Para comemorar essa data, acontecerá o Workshop Nova Vida no Jaraguá, em São Paulo, ministrado pelo time do NV da Bola de Neve de Campinas. Esse encontro, com início às 9h, será totalmente gratuito e aberto para toda a igreja e comunidade da região, onde haverá ministração e oficinas com os seguintes temas: O que é Dependência Química; Programas de Tratamento; Codependência; NV na prática e muito mais. O evento será encerrado às 20h no Culto Oficial do dia. Não perca!!! Convoque todos envolvidos nesta missão, chame seus amigos, familiares e vizinhos.Este Assunto é muito Atual o momento é AGORA..Imperdível
Bola de Neve Campinas
#novavida #novavidajaragua #novavidacampinas #nv #nv2019 #workshopnv #boladenevechurch #boladenevejaragua #boladenevecampinas #oprodutor #DrogasNao #DEUSajudaquemcedoMadruga

 

 

Como chegar https://wego.here.com/directions/mix//Bola-de-Neve-Jaragu%C3%A1,-Rua-Professor-Affonso-Jos%C3%A9-Fioravanti,-128,-02998-010-S%C3%A3o-Paulo,-Brazil:e-eyJuYW1lIjoiQm9sYSBkZSBOZXZlIEphcmFndVx1MDBlMSIsImFkZHJlc3MiOiJSdWEgUHJvZmVzc29yIEFmZm9uc28gSm9zXHUwMGU5IEZpb3JhdmFudGksIDEyOCwgMDI5OTgtMDEwIFNcdTAwZTNvIFBhdWxvIiwibGF0aXR1ZGUiOi0yMy40Mzc5MTk5LCJsb25naXR1ZGUiOi00Ni43MjQxNCwicHJvdmlkZXJOYW1lIjoiZmFjZWJvb2siLCJwcm92aWRlcklkIjo3Nzg1OTQxMzU1NzkxNTZ9?map=-23.43792,-46.72414,15,normal&fb_locale=pt_BR

De trem descer na estação do Jaraguá pegar a lotação 9011-21 e descer no ponto depois da Etec

  ++++ Informações 011- 945572891

Assista o video https://www.facebook.com/almir.lima.54/posts/10216401084037170

Leia ++++ sobre Drogas e outras porcarias https://oprodutoroficial.wordpress.com/category/drogas-outras-porcarias/

Nenhuma descrição de foto disponível.
#Indico Grupo de Apoio às famílias.


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto
WorkShop #DrogasNao comemorando 2º ano do NV Jaragua
DEUS ABENÇOE BDN Campinas pela ministração e presenças BDN Francisco Morato,Jd Peri “Juntos Somos Mais Fortes Sempre”

Maior Cracolandia do Mundo??? sabe onde é???

“Ontem assistindo o Profissão Reporter um dos programas que consigo assistir da platinada….sobre a visita dos Direitos Humanos que além dos absurdos que visitaram, incluiu a Cracolandia de SP o qual uma das defensoras após visita saiu Horrorizado do que viu na Praça Julio Prestes e dormir com aquela pergunta,como assim??? e hj o sempre ligado articulador postou esta reportagem da BBC, o qual compartilho…Leia e tire as dúvidas como eu ainda não cheguei à conclusão….Qual seria a Maior Cracolandia à entrar no Guiness??? e pergunto não terá solução lá onde ser o Primeiro Mundo ??? e aquí, como ficará????” #ProntoFalei escrito em 22/11/18 11h

Homem usando arma de brinquedo dentro da barraca

Leia a matéria completa https://www.bbc.com/portuguese/internacional-46256850?ocid=socialflow_facebook

Setembro Amarelo Alerta contra o Suícidio,leia …Vc vai se assustar

Resultado de imagem para mes amarelo

Ação busca a conscientização da população a respeito do problema de saúde pública que mata 1 brasileiro a cada 45 minutos
Se outubro é o mês pela prevenção do câncer de mama, representado pela cor rosa, e novembro é pela prevenção de doenças masculinas, com a cor azul, Setembro Amarelo é um movimento mundial para conscientizar a população sobre a realidade do suicídio e mostrar que existe prevenção em mais de 90% dos casos. De cada suicídio, de seis a dez outras pessoas são diretamente impactadas, sofrendo sérias consequências difíceis de serem reparadas.
O suicídio é considerado um problema de saúde pública e mata 1 brasileiro a cada 45 minutos e 1 pessoa a cada 45 segundos em todo o mundo. Pelo menos o triplo disso tentou tirar a própria vida e outras chegaram a pensar em suicídio.
Apesar de números tão alarmantes, o assunto ainda é tratado como tabu. Evita-se o assunto, o que só colabora para seu aumento. Segundo Carlos Correia, voluntário do CVV, entidade que atua gratuitamente na prevenção do suicídio há 53 anos, “as pessoas que tentam suicídio pedem ajuda, mas, normalmente, não são compreendidas. Deixar de falar sobre o assunto só colabora para esse distanciamento social”, comenta. “O assunto suicídio deveria fazer parte, de forma muito natural, da roda de amigos, nas escolas, casas religiosas e dentro das casas”, complementa.
O movimento Setembro Amarelo é estimulado mundialmente pelo IASP – Associação Internacional pela Prevenção do Suicídio e consiste em iluminar ou sinalizar locais públicos com faixas ou símbolos amarelos.
No Brasil, uma das instituições que está trabalhando pela causa neste ano é o CVV. Os 70 endereços do CVV em todo o país vão colocar uma faixa amarela na sua fachada, e seus voluntários buscam o apoio de municípios, estados e da federação para iluminar ou identificar monumentos e prédios públicos durante todo o mês de setembro.
10 de setembro é Dia Internacional de Prevenção do Suicídio – definido pela Organização Mundial de Saúde (OMS)⁠⁠⁠⁠

Créditos:http://crfmt.org.br

Suicídio é responsável por 800 mil mortes anuais e avança pelos países

Segundo especialistas, para enfrentá-lo, é preciso falar abertamente sobre sofrimentos e transtornos mentais

Leia e saiba números https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/ciencia-e-saude/2018/06/24/interna_ciencia_saude,690529/suicidio-e-responsavel-por-800-mil-mortes-anuais-e-avanca-pelos-paises.shtml

Resultado de imagem para setembro amarelo 2018

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e texto

Anthony Bourdain, o chef, apresentador e escritor, morreu aos 61 anos Suicídio. E aquí no Brasil??? #sabiaque

“08/6/2018  – De manhã ao ler este texto do antenado Chico Tchello

Anthony Bourdain, o chef, apresentador e escritor, morreu aos 61 anos. A causa avançada para a sua morte é suicídio, segundo a CNN.

Ler mais sobre morte  em: https://www.cmjornal.pt/mundo/detalhe/morreu-o-chef-de-cozinha-anthony-bourdain

Porém  Hoje todos estão falando deste americano, porém por  aquí  pouco se faz pois suicidio tem aumentado muito neste país verde amarelo(na média 12%), como mostra esta matéria leia https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Saude/noticia/2017/09/numero-de-suicidios-aumentou-12-no-brasil-mostra-ministerio-da-saude.html

 

Resultado de imagem para Anthony Bourdain, cozinheiro

Com exceção do CVV(Centro de Valorização da Vida) que todo ano faz campanha e a mídia não abraça,como acontece com aumento das drogas,desistencia escolar,desemprego será que os politiqueiros de plantão que sabem de  todos estes dados não irão utilizar em suas campanhas milionárias, pelo menos levantar esta preocupação,nos dias que estão por Vir…#prontofalei”

Créditos:> revistagalileu.globo.com

https://www.cmjornal.pt/

 

 

Chico Tchello

“Hoje o renomado chefe de cozinha, o americano Anthony Bourdain, ao que tudo indica, cometeu suicídio, aos 61 anos de idade, no auge da carreira televisiva.

Nem sei cozinhar, tampouco sou aficionado por gastronomia, mas acompanhei anos atrás uma série chamada No Reservations onde ele viajava o mundo atrás da boa comida popular local, inclusive comida de rua e mostrava de quebra culturas e costumes. Uma série bem legal, tendo gravado episódios inclusive em São Paulo e outras cidades do Brasil.

Fiquei um tanto surpreso portanto, com a notícia sobre sua morte repentina, mas mais surpreso ainda ao ler na matéria do G1, que ele é a segunda celebridade americana a cometer suicídio em uma semana e que em um ano 45 mil americanos tiraram a própria vida, tornando-se a terceira causa de mortes naquele país, junto com Alzheimer e overdose de drogas.

Então, é inevitável não perguntarmos por quê o país capitalista mais rico do mundo, queridinho dos liberais brasileiros e bolsominions continua sendo o maior consumidor de drogas ilícitas do mundo, o maior consumidor de drogas lícitas para o tratamento de transtornos psicoemocionais, o país mais violento entre os países chamados “civilizados”e o campeão absoluto em suicídios?

É isso o que politicos  desejam para o nosso país quando detonam Cuba, Venezuela, China e Coréia do Norte mas esquecem ou simplesmente colocam para debaixo do tapete a dolorosa tragédia capitalista americana? falou  Chico Tchello porém prá complementar  esta reflexáo  continue a leitura abaixo….

###########################################################################

 

Sim, o melhor é falar sobre suicídio

O número de mortes aumentou 34% no Brasil. Ainda assim, o assunto segue silenciado, escondido e pouco discutido. A solução é abrir a boca

Até você terminar de ler este parágrafo, uma pessoa vai ter se suicidado no mundo. Todos os dias, 32 brasileiros tiram a própria vida. Todos os dias também, mais de 20 mil pessoas cometem suicídio ao redor do planeta. Quase 1 milhão de pessoas se matam por ano, uma a cada 40 segundos – são mais vítimas que todas as guerras, homicídios e conflitos civis somados. E, para cada morte por suicídio, existem outras 10 ou 20 pessoas que já tentaram fazer o mesmo.

O Brasil é um país com índices baixos (6 casos por 100 mil habitantes, contra 12 da média mundial), mas vive um momento delicado. Enquanto os índices têm caído na maioria dos países, as taxas brasileiras avançam. Entre 2002 e 2012, o número de casos subiu 34%. Entre adolescentes de 10 a 14 anos, o aumento chegou a 40%, de acordo com o último levantamento do Mapa da Violência.

Talvez você nunca tenha ouvido falar nesses dados desoladores. É porque o suicídio costuma vir acompanhado de um fator que contribui para

o seu alastramento: o silêncio. Não é agradável falar sobre quem se matou ou tentou se matar. Ao mesmo tempo, discutir o assunto – e entender os fatores que levam a ele – são as únicas armas que temos contra o suicídio. Por isso, estamos aqui, falando sobre ele.

Efeito Hannah Baker

“Oi, é a Hannah, Hannah Baker. Não ajuste seu… o que quer que esteja usando para ouvir isso. Sou eu, ao vivo e em estéreo. Sem promessa de retorno, sem bis e, desta vez, sem atender a pedidos. Pegue um lanche. Acomode-se. Porque vou contar a história da minha vida. Mais especificamente, por que minha vida terminou”, diz a protagonista da série 13 Reasons Why. Hannah nasceu no livro Os 13 Porquês, do americano Jay Asher, publicado em 2007, que virou série lançada pela Netflix no final de março. Na história, a menina de 17 anos sofre bullying, ganha o rótulo de “fácil” na escola, é estuprada e acaba isolada dos colegas. Até que decide se matar, e deixar 13 fitas cassetes explicando os motivos que a levaram a isso.

A popularidade da série fez do suicídio um tema obrigatório em escolas e famílias – até porque a incidência entre adolescentes nunca foi tão alta. “Tenho 35 anos de profissão e observo hoje cada vez mais jovens com depressão”, diz o psiquiatra Neury Botega, professor do Departamento de Psicologia Médica e Psiquiatria da Unicamp. “Antes atendíamos pessoas com a doença já na casa dos 40. Hoje atendemos adolescentes deprimidos.”

O Centro de Valorização da Vida, o CVV, principal serviço de apoio psicológico e de prevenção ao suicídio do País, sentiu o efeito imediato da série. Na primeira semana de abril, logo após o lançamento do seriado, a média diária de pedidos de ajuda por e-mail passou de 55 para mais de 300 (um aumento de 445%), muitos mencionando a história de Hannah Baker.  “É positivo ver que, a partir da série, as pessoas estão percebendo que não estão sozinhas, que existe um serviço sigiloso onde elas podem compartilhar suas dores sem serem julgadas”, afirma Carlos Correia, voluntário do CVV há 25 anos, que viu o seriado com seus filhos adolescentes.

Nem todos concordaram com Correia, no entanto. O fato de o seriado ter mostrado explicitamente a morte de Hannah foi muito criticado – e é, inclusive, desaconselhado pela OMS. O medo é do “efeito Werther”. O nome do fenômeno vem do romance Os Sofrimentos do Jovem Werther, de Goethe, cujo protagonista se mata após ser rejeitado pela amada. O tom depressivo do livro, publicado em 1774, provocou uma comoção entre jovens da época, que seguiram o personagem e também se suicidaram.

O fenômeno goethiano é comprovado pela ciência: médicos da Universidade de Viena analisaram 98 casos de suicídio de famosos e perceberam que reportagens sensacionalistas, que glamorizavam a morte de celebridades, estimulavam o “suicídio por imitação”. Em 1962, por exemplo, depois que a imprensa confirmou que Marilyn Monroe havia se matado, o suicídio cresceu 12% nos EUA.

Na mesma época do lançamento de 13 Reasons Why, outro fenômeno jovem chamou atenção para o tema: o jogo Baleia Azul. No desafio, de origem misteriosa e noticiado pela primeira vez na Rússia, um moderador distribui missões mórbidas em um grupo secreto de Facebook – coisas como automutilação, subir no alto de um prédio ou ir a uma estrada de ferro de madrugada. A prova final é acabar com a própria vida. O nome se deve ao comportamento supostamente suicida de baleias que se jogam nas praias, encalham e morrem.

Ainda há dúvidas sobre se o jogo realmente foi criado na Rússia e se virou mesmo uma febre por lá – mas seus efeitos são bem reais por aqui. No início de abril, uma menina de 16 anos foi encontrada sem vida em uma represa no interior do Mato Grosso, com sinais que remetiam ao Baleia Azul: cortes nos braços e pernas – além de uma lista de tarefas com cronograma e regras do desafio. Ainda não existe um número preciso de vítimas no Brasil, mas os Estados de Goiás, Mato Grosso, Bahia, Minas Gerais e Paraná estão investigando mortes de jovens para descobrir se há ligações com a “brincadeira”.

Atenção

Se você ou alguém que você conhece está tendo problemas, comece a ler por aqui.

Reconheça os sinais

  • Frases ou publicações nas redes sociais que falem de solidão, isolamento, culpa, apatia, autodepreciação, desejo de vingança ou hostilidade fora do comum. Coisas como:
  • “Não faço nada direito, sou um lixo”, “Não quero sair da cama nunca mais”, “Mais uma madrugada sem sono”, “Quero que todo mundo se dane”, “Vocês não vão precisar mais se preocupar comigo”
  • Impulsividade: aumentar o uso de álcool ou drogas, mudanças drásticas de peso, dirigir perigosamente
  • Uso frequente de emojis negativos
  • Perguntas sobre métodos letais, como facas, armas ou pílulas
  • Enaltecer e glamorizar a morte
  • Desfazer-se de objetos pessoais e dar adeus

Saúde mental é saúde pública

Por tudo isso, dá para entender a relutância geral em falar sobre o assunto. O problema é que é impossível fugir dele. De acordo com um estudo da Unicamp, 17% das pessoas já pensaram seriamente em pôr fim à própria vida: 4,8% elaboraram algum tipo de plano para cometer suicídio e 2,8% tentaram executá-lo. Quando alguém se suicida, é comum que se procure um grande causador da tragédia: falência, perda de parente, um vídeo íntimo que cai na rede.

Mas esses fatos, sozinhos, não bastam para explicar a morte. “Não são os eventos dolorosos da vida que fazem suicidar. É o efeito incendiário sobre uma condição mental subjacente, frequentemente doente e fragilizada, que faz com que o fato tome a dimensão de tragédia inescapável”, diz a psicóloga e suicidóloga Vivian Zicker, membro da Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio (ABEPS) e uma das coordenadoras do Grupo de Apoio a Enlutados por Suicídio da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Imagine que uma bituca de cigarro acesa caia numa grama verde. Ela vai queimar lentamente até se apagar. Mas, se o cigarro cair em um mato seco, pode provocar um pequeno fogo, que talvez vire um incêndio descomunal. Então: as bitucas são os eventos dolorosos da vida. O mato seco é uma condição mental frágil, como depressão, dor crônica, isolamento. Já a grama verde é uma mente saudável e com fatores de proteção – estar empregado, ter criança em casa, ter um companheiro.

De fato, entre todos os fatores de risco, o maior previsor de suicídio é a ocorrência de doenças mentais. Segundo a OMS, 90% das pessoas que se suicidam apresentavam algum desequilíbrio, como depressão, transtorno bipolar, dependência de substâncias e esquizofrenia – e 10% a 15% dos que sofrem de depressão tentam acabar com a vida.

Ainda assim, a OMS defende que 90% dos suicídios poderiam ser evitados. O desafio é cuidar das doenças mentais como cuidamos das outras doenças. Cerca de 60% das pessoas que se suicidam nunca se consultaram com um psicólogo ou psiquiatra. Imagine que estranho seria, por exemplo, se seis entre dez pessoas que quebram uma perna simplesmente não fossem a um ortopedista. Doença mental é apenas mais uma doença – e uma que pode causar o suicídio. Parece óbvio que o assunto deve ser visto como um problema de saúde pública.

“O primeiro passo para a prevenção é falar sobre o suicídio. Ele deveria ser tratado como a aids e o câncer de mama, cujas campanhas de prevenção foram fundamentais para diminuir a incidência das doenças”, diz a psicóloga e coordenadora do Instituto Vita Alere, que faz prevenção ao suicídio, Karen Scavacini. Essa é também a visão da OMS. Em 2013, seus membros se comprometeram a desenvolver estratégias para reduzir a incidência de casos em 10% até 2020.

O Japão é um exemplo de sucesso – e que tem índices historicamente altos. Até o fim dos anos 1990, o suicídio era considerado tabu. Não se deveria discuti-lo publicamente. Até que, em 1998, a incidência de casos cresceu mais de 8 mil em um ano e beirou as 33 mil mortes. A partir desse pico, filhos de vítimas foram à imprensa pedir atenção para o assunto, e o governo decidiu desenvolver medidas de saúde públicas no país, que avaliavam fatores psicológicos, culturais e econômicos.  Deu certo. Apesar de ainda ser alto, o número de japoneses que se suicidam ao ano caiu gradativamente, e em 2012 ficou abaixo dos 30 mil pela primeira vez em 14 anos.

As novíssimas soluções

Na noite do dia 8 de março de 2017, Marcelo*, de 40 anos, iniciou uma transmissão ao vivo em sua página no Facebook dizendo que se mataria em duas horas. Desempregado e prestes a se tornar pai pela quarta vez, essa não era a primeira tentativa do morador da pequena cidade de Caçador, no meio-oeste catarinense, de tirar a própria vida. No entanto, ele não imaginava que seria impedido.

Um amigo de Marcelo notificou o site que ele corria perigo e deu início ao efeito dominó: funcionários do Facebook nos EUA rastrearam o endereço pelo IP do computador, interromperam a transmissão e acionaram a polícia americana, que por sua vez alertou a embaixada brasileira. Imediatamente, a Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina foi informada de que um cidadão estava em risco e avisou as autoridades de Caçador.

O Corpo de Bombeiros, e as polícias civil e militar da cidade conseguiram chegar a tempo. Tudo isso aconteceu em menos de duas horas, na primeira força-tarefa internacional acionada pelo Facebook para evitar que alguém se matasse.

Desde junho do ano passado, a rede social dispõe desse recurso de segurança em que é possível avisar se algum amigo corre perigo. Se você notar que um conhecido publicou conteúdos com tendência ao suicídio ou mutilação, você pode fazer uma denúncia e a pessoa receberá uma mensagem dizendo que um amigo se preocupou com ela. Na mensagem à pessoa em perigo, o Facebook sugere algumas opções, como conversar com alguém ou fazer contato com o CVV.

Para alcançar ainda mais gente, o Face está desenvolvendo também um algoritmo que detecta palavras de risco nos post dos usuários e até nos comentários de amigos. O algoritmo pode disparar o alerta de suicídio mesmo que ninguém faça a denúncia. Em fevereiro, Mark Zuckerberg anunciou que a companhia quer analisar sinais de suicídio também em fotos e vídeos – bullying e assédio são os outros alvos da iniciativa.

A análise de dados é também a solução proposta por pesquisadores de Harvard e da Universidade do Estado da Flórida. No maior estudo já feito sobre suicídio, os especialistas se debruçaram sobre 356 pesquisas, de 1965 a 2014, que continham registros sobre a saúde de mais de 2 milhões de americanos. Dentro dessa gigantesca amostragem, identificaram mais de 3.200 pessoas que tentaram se matar. E constataram: entre as cinco décadas que separam os dados mais antigos da pesquisa dos mais novos, não houve melhora na habilidade de médicos e psicólogos de prever o suicídio. Um fato, no mínimo, preocupante.

A boa-nova está no passo seguinte da pesquisa. A partir dessa imensa base de dados, o time de cientistas desenvolveu uma ferramenta de inteligência artificial que conseguiu prever se alguém vai se suicidar nos próximos dois anos com até 80% de exatidão – muito semelhante aos exames de coração que mostram as chances de desenvolver doenças cardíacas. O sistema é capaz de computar doenças mentais, crises financeiras, históricos familiares de suicídio, discriminação, traumas de infância, stress ou abuso de substâncias – e depois botar todos esses dados para interagir entre si.

Quanto mais próximo o suicídio estiver, mais certeira é a previsão da máquina – e mais eficiente a prevenção. Uma semana antes de alguém tentar se matar, por exemplo, a taxa de acerto sobe para 92% de certeza. “Se mais pesquisadores se concentrarem nisso, finalmente poderemos ver declínios significativos nas taxas de comportamentos suicidas e, em última análise, mortes por suicídio em escala global”, afirmou Jessica Ribeiro, autora da pesquisa, na divulgação dos resultados. Pode ser uma solução para todas essas pessoas que se veem sem solução na vida. E só será possível se não pararmos de falar sobre o assunto.

Ombro amigo

  • Mostre que você se importa, que a pessoa não está sozinha. Ofereça ajuda sem julgar ou dar conselhos: Diga: “estou preocupado com você.  Quer conversar? O que posso fazer para te ajudar?”
  • Não compare sofrimentos: não exija que o seu amigo se sinta alegre por ter menos problemas que outras pessoas. Cada um lida com os sentimentos de forma particular.
  • Pergunte se seu amigo cogita se matar. Se a resposta for “sim”, não entre em pânico. Compartilhar pensamentos suicidas pode aliviar a sensação de isolamento.
  • O melhor caminho é sugerir auxílio profissional. Por exemplo: “tudo bem se não quiser se abrir comigo, quer ajuda para encontrar um psicólogo?”

Em caso de emergência

  • Ao ver uma postagem suspeita, notifique o Facebook e entre em contato com o amigo.
  • Se alguém ameaçar tirar a própria vida, sempre leve a sério: ligue para o 190 ou acompanhe seu amigo pessoalmente até a emergência mais próxima.
  • Depois de uma ameaça de suicídio, entre em contato periodicamente com a pessoa.

Se você está com problemas:

Ligue para o CVV pelo número 141 (é 24 horas)

Fontes: OMS (Preventing Suicide: A Global Imperative), Mapa da Violência 2014: Os Jovens do Brasil, Neury Botega (Crise Suicida) (Prevalências de ideação, plano e tentativa de suicídio: um inquérito de base populacional em Campinas), Associação Brasileira de Psiquiatria (Suicídio: Informando para Prevenir), University of Columbia (“The Social Environment and Suicide Attempts in a Population-Based Sample of LGB Youth”), Associação Brasileira de Psiquiatra, Cartilha CVV, Facebook, Safernet, Jed e Clinton Foundation.

#Fonte http://super.abril.com.br

%d blogueiros gostam disto: