Mapa da Desigualdade 2019 IMPORTANTE #Leia

“Muitos se perguntam, por que nos ENVOLVEMOS em ações sociais e que a obrigação é do ESTADO??? …..Pois é Recomendo para todos que da pergunta, leiam e nos RESPONDA.

Avaliem e leiam atentamente este triste Mapa de São Paulo(maior municipio populoso)…E vamos nos envolver para mudar este quadro, pois “jUNTOS SOMOS MAIS FORTES SEMPRE” “NÓIS POR NÓS MESMOS”,gritos de guerras de Ongs,associações de bairro,Igrejas que tentam com seu voluntários guerreiros mudar algo amenizando a dor dos Esquecidos. Se São Paulo tá assim e o Resto do pais??? Façamos a diferença onde moramos,abençõe e será ABENÇOADO.”

#ProntoFalei

Resultado de imagem para mapa da desigualdade 2019

Muitas vezes, quando se fala em desigualdade, a primeira coisa que as pessoas visualizam é o desequilíbrio na distribuição de renda. Porém, quando falamos em desigualdade, estamos nos referindo às suas diversas formas de se manifestar: desigualdade de gênero, desigualdade racial e, principalmente, em desigualdades regionais.
Essas assimetrias perpetuam ciclos viciosos de estagnação social e acesso a direitos básicos, como educação e saúde de qualidade; direito à moradia, ao trabalho, à cultura; direito a ter boas condições de mobilidade e segurança; direito a um meio ambiente saudável e a uma infância feliz.
Os efeitos da desigualdade são perversos e afetam a todas e todos, inclusive às pessoas socialmente mais privilegiadas. Esses efeitos se refletem em vários aspectos mensuráveis, como nos índices de criminalidade e violência (social e simbólica); nos tipos e na remuneração do trabalho; no nível de estresse e nas doenças que afetam a população. Esses números demonstram, explicitamente, os sinais de uma sociedade desequilibrada e com baixos índices de bem-estar social.

Lei Maria da Penha (Lei no 11.340/2006) classifica a violência contra a mulher em 5 tipos:

  1. violência física (homicídio, tentativa de homicídio, lesão corporal e maus-tratos)
  2. violência psicológica (constrangimento ilegal e ameaça)
  3. violência moral (calúnia, difamação e injúria)
  4. violência sexual (estupro)
  5. violência patrimonial (invasão de domicílio e dano)

De acordo com o instituto, é importante considerar que esse tipo de violência costuma ser subnotificado, ou seja, os números reais são provavelmente maiores dos que os mostrados no levantamento.

Desde 2012, a Rede Nossa São Paulo elabora e divulga anualmente o Mapa da Desigualdade da cidade. Veja aqui as tabelas completas.

10 distritos com maior taxa de feminicídio*:

  • Sé: 8,41
  • Barra Funda: 6,11
  • Vila Guilherme: 3,54
  • Campo Belo: 2,59
  • Casa Verde: 2,29
  • República: 2,16
  • Jaçanã: 2,05
  • Artur Alvim: 1,91
  • Perus: 1,88
  • Vila Formosa: 1,75

10 distritos com maior taxa de violência contra a mulher – todas**: 

  • Sé: 803,9
  • Barra Funda: 651,5
  • Brás: 580,0
  • Pari: 515,8
  • República: 465,9
  • Bom Retiro: 402,7
  • Santo Amaro: 360,9
  • Itaquera: 356,8
  • São Miguel: 345,4
  • Socorro: 324,5

Confira abaixo os distritos com menos ocorrências, segundo o Mapa da Desigualdade 2019.

10 distritos com menor taxa de feminicídio*: 

  • Tremembé: 0,15
  • Lajeado: 0,19
  • Jardim Helena: 0,25
  • Jabaquara: 0,28
  • Perdizes: 0,28
  • Ipiranga: 0,29
  • Raposo Tavares: 0,30
  • Jardim São Luís: 0,33
  • Tatuapé: 0,34
  • Grajaú: 0,34

10 distritos com menor taxa de violência contra a mulher – todas**:

  • Vila Andrade: 102,3
  • Perdizes: 112,4
  • Alto de Pinheiros: 132,0
  • Saúde: 141,7
  • Vila Sônia: 153,9
  • Jardim Ângela: 160,4
  • Jardim São Luís: 161,2
  • São Rafael: 164,5
  • Anhanguera: 171,4
  • Moema: 173,4

Não foram registradas ocorrências de feminicídio nos distritos*: 

  1. Alto de Pinheiros
  2. Anhanguera
  3. Bela Vista
  4. Belém 
  5. Bom Retiro 
  6. Brás 
  7. Cachoeirinha 
  8. Jaguaré 
  9. Mandaqui 
  10. Marsilac 
  11. Moema 
  12. Mooca 
  13. Pari 
  14. Pinheiros 
  15. Tucuruvi 
  16. Vila Andrade 
  17. Vila Jacuí 
  18. Vila Leopoldina 
  19. Vila Maria 
  20. Vila Sônia 

* Ano-base: 2018. Fórmula: Número total de ocorrências de feminicídio dividido pela população feminina na faixa etária de 20 a 59 anos x 10.000. Fontes: MP-SP ; SSP; IBGE; Seade.

** Ano-base: 2018. Fórmula: Número total de ocorrências de violência contra a mulher dividido pela população feminina na faixa etária importante.

Créditos: Estadão/Noticias

Resultado de imagem para mapa da desigualdade 2019
VEJA O MAPA COMPLETO
Desigualdade???? Entenda #Leia Mapa da Desigualdade 2019 é lançado em São Paulo
https://www.nossasaopaulo.org.br/2019/11/05/mapa-da-desigualdade-2019-e-lancado-em-sao-paulo/
Saiba mais:
Confira a apresentação do Mapa da Desigualdade 2019
Confira as tabelas completas do Mapa da Desigualdade 2019

Sobre Almir Lima oprodutoroficial

Acredito que o BEM vencerá o mal sempre com UNIDADE #PokazIdeia #BoraAvancar #BoraRua #JCisOne

Publicado em 7 07America/Sao_Paulo novembro 07America/Sao_Paulo 2019, em Ação Social, Campanha #apoio, cotidiano dia dia, Sem categoria. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: